terça-feira, 1 de julho de 2014

Produtor de laranja pressiona governo por leilões do Pepro


As indústrias processadoras ampliaram a compra de laranja para a produção de suco na safra 2014/15, mas os preços pagos pela caixa de 40,8 quilos da fruta, de R$ 8 a R$ 10, fizeram com que os citricultores ampliassem a pressão junto ao governo para realização de leilões do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor (Pepro). Estão previstos R$ 50 milhões para as operações que garantiriam o preço mínimo de R$ 11,45 a caixa, mas o processo ainda tramita entre ministérios antes de chegar na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

'Seriam necessários dois leilões de Pepro, um entre os dias 15 e 18 de julho e outro no dia 30', estimou o presidente da Câmara Setorial da Citricultura do Ministério da Agricultura, Marco Antonio dos Santos. 'O processo já tem autorização da Agricultura, com a promessa do ministro (Neri Geller), do Ministério do Planejamento e só falta o aval do Tesouro', completou Santos.

Enquanto isso, as principais indústrias avançam na aquisição das frutas. Maior compradora do mercado, a Cutrale ofertou R$ 8 por caixa das variedades precoces e R$ 10 para as de meia estação tardia e comprou grandes volumes de laranja. Os contratos foram fechados para um ano e preveem participação dos produtores na negociação do suco vendido em 2015, com o prêmio pago em 2016, prática já comum na indústria.

Na maioria dos contratos, o pagamento (sem a participação futura) é dividido em duas parcelas, a primeira na semana seguinte à da compra e a segunda em 65 dias. A Louis Dreyfus Commodities (LDC) também ampliou as compras nos mesmos níveis de preços da Cutrale. Já a Citrosuco procurou os citricultores que tiveram contratos vencidos entre a safra passada e a atual e ofereceu entre US$ 4 e US$ 5 a caixa.

Fonte: Agência Estado

0 comentários

Postar um comentário