segunda-feira, 16 de junho de 2014

Araxá vai inaugurar neste mês frigorífico municipal



Após investimentos próximos a R$ 3 milhões deverá entrar em funcionamento, até o final deste mês, o Frigorífico Municipal de Araxá, na região do Alto Paranaíba. O objetivo da prefeitura, que assumiu o frigorífico após a empresa administradora decretar falência, é incentivar o abate de bovinos no município e agregar valor à produção local.

De acordo com o prefeito de Araxá, Jeová Moreira da Costa, ao longo dos últimos dois anos, período em que a prefeitura assumiu o frigorífico, foram feitas diversas adaptações para que a unidade atendesse aos requisitos previstos na legislação. O início dos abates depende apenas do licenciamento ambiental, que está em processo de avaliação.

"Toda a estrutura operacional já está pronta e agora estamos buscando cumprir todas as exigências da vigilância ambiental e sanitária. Acreditamos que, em breve, iniciaremos os abates, o que será de fundamental importância para o desenvolvimento econômico do município e para a agregação de valor à produção pecuária", disse Costa.

Ainda segundo o prefeito, a abertura da unidade também foi viabilizada pelo Profrig (Programa de Regionalização de Frigoríficos), projeto do governo estadual que tem como objetivo eliminar o abate clandestino no Estado, com a construção de unidades regionais de abate.

Segundo Costa, inicialmente, o frigorífico funcionará através de um consórcio intermunicipal firmado entre a prefeitura e a Ampla (Associação dos Municípios do Alto Paranaíba). Mas também está em avaliação a formação de Parceria Público-Privada (PPP).

"Ainda estamos estudando o melhor formato que poderá ser o de PPP (Parceria Público-Privada) ou de concessão. Precisamos definir o sistema que trará maior beneficio para o município e para os produtores", afirmou Costa.

A unidade frigorífica de Araxá tem capacidade de abater cerca de 100 cabeças de bovinos por dia. Além da produção municipal, o objetivo é atender à demanda das cidades próximas que não contam com unidades de abates legalizadas. Ao menos nove municípios devem ser beneficiados com a abertura da unidade de Araxá, entre eles estão Perdizes, Santa Juliana, Sacramento, Tapira, Pratinha, Ibiá e Campos Altos.

"A reabertura do abatedouro municipal será uma ferramenta que agregará valor à produção pecuária local. Também será um grande passo para a legalização dos abates e para a garantia de qualidade e de uma produção dentro dos padrões sanitários exigidos pela lei. Para os pequenos produtores, que tiverem o abate legalizado, também haverá a opção de fornecer a carne para a merenda escolar. Desta forma, estaremos aproveitando a produção dentro do município, contribuindo para a geração de renda, empregos e melhoria na qualidade da alimentação", disse.

Crescimento

A expectativa é que com a reabertura da unidade, a pecuária de corte seja ampliada na região. "Ao abater a produção próxima às unidades produtoras, o custo será menor e por ser legalizada haverá um retorno financeiro maior, o que é fundamental para estimular a ampliação da atividade pecuária", disse.

Segundo dados da prefeitura de Araxá, a bovinocultura é a principal atividade rural do município, explorada em quase 100% das propriedades na região e vem sendo direcionada, principalmente, à produção de leite. Com um rebanho estimado em 75 mil cabeças, a pecuária ocupa uma área de pastagens em torno de 53,933 mil hectares.


Fonte: DCI

0 comentários

Postar um comentário