terça-feira, 18 de março de 2014

Alertas de Mercado: Açúcar, Etanol e Mandioca


Açúcar

As cotações do açúcar cristal seguem firmes no mercado spot paulista. Entre 10 e 17 de março, o Indicador CEPEA/ESALQ do açúcar cristal (mercado paulista), cor ICUMSA entre 130 e 180, teve ligeira queda de 0,63%, fechando a R$ 51,66/saca de 50 kg nessa segunda-feira, 17. Segundo pesquisadores do Cepea, o volume de cristal negociado segue restrito devido à entressafra de cana-de-açúcar no Centro-Sul do Brasil. 

Algumas poucas usinas já começam a moagem para, num primeiro momento, priorizar a produção de etanol e aproveitar o bom cenário do combustível – cotações em alta e melhor escoamento. Compradores, por sua vez, relatam dificuldade em adquirir açúcar cor ICUMSA até 150 no spot, visto que as usinas têm priorizado atender os contratos pré-fixados.

Etanol

Enquanto os preços do etanol hidratado permaneceram praticamente estáveis na última semana, os do anidro subiram com mais força, impulsionados pela maior demanda. Pesquisadores do Cepea indicam que a perda de competitividade do hidratado frente à gasolina nas bombas faz com que alguns consumidores migrem para a gasolina, elevando a demanda pelo anidro (misturado em 25% ao combustível fóssil). 

Entre 10 e 14 de março, o Indicador CEPEA/ESALQ do anidro (estado de São Paulo) foi de R$ 1,5884/litro, alta de 2,5% em relação à semana anterior. Para o hidratado, o Indicador foi de R$ 1,4305/litro, leve queda de 0,4% na mesma comparação.

Mandioca

A demanda por mandioca esteve mais aquecida na última semana, principalmente por parte da indústria de fécula que tem expectativa de melhora na comercialização nos próximos meses. Diante disso, houve maior disputa por matéria-prima, o que não acontecia desde meados de outubro/13, cenário que estabilizou as cotações. 

Pesquisadores do Cepea ressaltam que os valores da raiz estavam em queda desde dezembro do ano passado, após o produto ter se valorizado expressivamente no correr de 2013. As baixas se intensificaram no primeiro bimestre deste ano, com recuo médio de 10%. 

Em relação à oferta atual, com os preços caindo e o baixo rendimento de amido, muitos produtores consultados pelo Cepea reduziram o ritmo de colheita. Além disso, as chuvas em algumas regiões também limitaram o avanço dos trabalhos e a disponibilidade de raízes com mais de um ciclo e meio vem se reduzindo.

 Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

0 comentários

Postar um comentário