segunda-feira, 18 de novembro de 2013

UNESP abre inscrições para residência em Ciências Agrárias e Ciências Florestais


Estão abertas até o dia 22 de novembro as inscrições para três vagas de Residência em Ciências Agrárias e uma vaga para Residência em Recursos Naturais (Ciências Florestais) na Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu.

Para a Residência em Ciências Agrárias as vagas são do primeiro ano (R1) nas áreas de Engenharia Rural, na subárea Máquinas e Mecanização Agrícola; Agricultura, na subárea Grandes Culturas e na área de Horticultura, subárea Olericultura.

Na área de Recursos Naturais (Ciências Florestais), a subárea é Recursos Florestais e a vaga é para o segundo ano (R2).

A Residência na FCA é prioritariamente destinada a profissionais graduados em Agronomia e Engenharia Florestal. O objetivo primordial do programa é proporcionar aos residentes, através de treinamento em atividades supervisionadas, o desenvolvimento de habilidades e responsabilidades indispensáveis ao exercício profissional, bem como a ampliação e aprofundamento em seu nível de conhecimento técnico.

Além das atividades programadas a serem desenvolvidas pelos Residentes junto às Fazendas de Ensino, Pesquisa e Extensão (FEPE) da FCA, cabe a esse profissional a orientação aos alunos de graduação da FCA, no desenvolvimento do Programa de Treinamento de Atividades de Formação.

Experiências

Helena Souza Ronchi, formada em Engenharia Florestal pela FCA em 2011, é a atual residente na área de Recursos Naturais. A opção pela Residência se deu pela necessidade de ter uma experiência ampla que lhe conferisse mais segurança para atuar profissionalmente.

Suas atividades cotidianas incluem planejamento e monitoramento ambiental; adequação das FEPE à legislação ambiental vigente; projetos na área de silvicultura e manejo; manejo de áreas silvestres, incluindo conservação e restauração dos ecossistemas naturais das FEPE e recuperação de áreas degradadas. Tudo isso somado à orientação de doze estagiários de graduação. “Acredito que a segurança para desempenhar a profissão, vem a partir do momento em que colocamos a mão na massa e a Residência está me proporcionando essa experiência”.

Um exemplo da importância da experiência que o residente adquire está no trabalho realizado para a adequação das Fazendas a toda legislação ambiental vigente. Pedidos de autorizações de corte de árvores, laudos de caraterização de vegetação e todos os procedimentos referentes ao uso da água nas Fazendas estão entre suas atribuições “No curso de Engenharia Florestal estudamos a lei, mas não temos contato com esses procedimentos na prática”.

A área de silvicultura ainda é nova como tema da Residência, mas desperta muito o interesse dos estagiários. “Eles acomoanham todo o processo, desde a amostragem do solo para análises químicas, análise do solo, adubação, toda a parte de produção florestal, e inventário florestal”, conta Helena. “Há muito mercado para quem gosta da parte de produção”.

A Residência também colabora em projetos relacionados ao paisagismo do Lageado. “É um trabalho de extensão que atende tanto a comunidade da Unesp como quem visita a Fazenda”. E, segundo Helena, os estagiários estão totalmente integrados às atividades. “A ideia é fazer com que os alunos, além do projetos, plantem as mudas, levantam custos, façam tudo o que complementa as atividades práticas”.

Atualmente, a residente prepara um projeto para organizar a área de prevenção e combate a incêndios nas Fazendas, inclusive de forma integrada com a Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, que divide a área com a FCA. “O mais legal é que você pode propor projetos, melhorias, soluções para os problemas que surgem”.

Além da experiência profissional, a Residência fez com que Helena definisse melhor o campo em que deseja atuar no futuro. E para isso, o contato com os estagiários foi fundamental. “O trabalho aqui me fez perceber que gostaria de ser professora. Gosto muito de orientar, de ajudar os alunos”.

Uma das estagiárias de Helena é Amanda Siqueira, aluna do 5º ano da Florestal. Ela procurou o estágio junto à fazenda para aprimorar seus conhecimentos práticos. Tem atuado bastante com as questões de licenciamento ambiental e restauração florestal. “A experiência está sendo muito enriquecedora. Aqui posso vivenciar temas que não são muito trabalhados na grade curricular do curso. É preciso ter dedicação, pesquisar, perguntar, pedir ajuda aos funcionários da Fazenda que estão sempre ao nosso lado. É uma bagagem profissional única”. Amanda tem intenção de prestar a Residência depois de formada.

Os servidores das Fazendas, que acompanham residentes e estagiários nas atividades cotidianas, endossam os benefícios da experiência. “Alguns alunos chegam aqui sem conhecimento nenhum, nem sabem se é isso mesmo que eles querem fazer da vida. Acho que a experiência aqui, somada com a teoria que aprendem nas aulas, vai ajudá-los a crescer como profissionais”, diz José Batista da Silva, supervisor do Setor de Parques e Jardins da FCA. “Para nós funcionários, os residentes e estagiários trazem um apoio importante. Todos aprendem juntos”.

Docentes

Orientadora de Helena Ronchi na Residência, a professora Renata Cristina Batista Fonseca ressalta que o programa oferece uma oportunidade única aos novos profissionais: atuar como engenheiro agrônomo ou florestal e, ao mesmo tempo, manter o respaldo da universidade, através da orientação dos professores em suas atividades. “É um período de amadurecimento do profissional que vai se inserir com mais segurança no mercado de trabalho”, garante a professora, que já atuou como vice-supervisora das FEPE.

O professor Rogério Peres Soratto, atual supervisor das FEPE confirma. “O intuito primordial da Residência é a vivência prática, a possibilidade de saber como acontecem todas as operações na Fazenda. É um trabalho intenso e produtivo”.

Os professores da FCA também valorizam o estágio feito junto dos residentes. “É muito importante, pois traz uma vivência prática para pessoas que vieram estudar aqui, mas que não têm contato com o meio rural. E para o residente, é válida a experiência de orientar os estagiários. É criada uma rede de trabalho”, analisa o professor Soratto. “Muitas vezes, os alunos acabam, até em função da rotina das aulas, fazendo seus estágios apenas juntos aos departamentos. Na Fazenda a experiência é mais técnica, porém muito rica em termos de oportunidade de aprendizado”, conclui a professora Renata.

Mais informações sobre a Residência aqui.

Fonte: Unesp

0 comentários

Postar um comentário