terça-feira, 19 de novembro de 2013

Alertas de Mercado: Açúcar, Etanol e Milho


Açúcar

Após registrar quedas por duas semanas consecutivas, as cotações do açúcar cristal voltaram a subir no mercado spot paulista. Na segunda-feira, 18, o Indicador de Açúcar Cristal CEPEA/ESALQ (mercado paulista), cor (Icumsa) entre 130 e 180, fechou a R$ 52,18/saca de 50 kg, alta de 1% em relação à segunda anterior. De acordo com pesquisadores do Cepea, a sustentação vem da postura mais firme por parte de agentes de usinas, principalmente quando os negócios envolvem o produto de melhor qualidade. 

A demanda, no entanto, está desaquecida, já que compradores têm dado prosseguimento à produção apenas com o açúcar recebido por meio de contratos. Quanto aos compradores que adquirem o cristal no mercado spot, pesquisadores do Cepea comentam que houve um pequeno aumento na demanda a partir do meio da última semana, mas com as negociações envolvendo pequenas quantidades.

Etanol

Os preços do etanol hidratado subiram com mais força na última semana. Segundo pesquisadores do Cepea, os valores ainda foram impulsionados pela demanda aquecida por parte de distribuidoras, por conta do feriado da sexta-feira, 15 (Proclamação da República). Entre 11 e 14 de novembro, o Indicador semanal CEPEA/ESALQ deste combustível (estado de São Paulo) fechou a R$ 1,2067/litro, aumento de 3,3% em relação à semana anterior, quando a elevação havia sido de apenas 0,4%.

Quanto ao Indicador CEPEA/ESALQ do anidro, que havia se desvalorizado na semana anterior, teve média de R$ 1,3566/litro (sem impostos), aumento de 1,7%. Para os próximos dias, alguns agentes consultados pelo Cepea indicam que movimento de alta deve continuar, dada a necessidade de reposição de estoques por parte de distribuidoras e a proximidade da entressafra no Centro-Sul do País.

Milho

Os preços do milho seguem em alta no mercado interno, com elevações mais expressivas em algumas regiões. Depois dos recordes exportados em outubro, os embarques continuam em bom ritmo em novembro, animando vendedores, já que podem reduzir os estoques internos e manter os preços firmes. 

Segundo pesquisadores do Cepea, as intervenções governamentais para o produto de Mato Grosso também contribuem para levar o cereal para regiões deficitárias, como São Paulo e Nordeste, e especialmente para os embarques. O dólar valorizado, ainda, eleva a paridade de exportação. 

Entre 11 e 18 de novembro, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa, referente à região de Campinas (SP), subiu fortes 3,12%, fechando a R$ 25,75/saca de 60 kg na segunda-feira, 18. Se considerados os negócios também em Campinas, mas cujos prazos de pagamento são descontados pela taxa de desconto NPR, o preço médio à vista foi de R$ 25,37/sc de 60 kg na segunda, alta de 3,3%.

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br 

0 comentários

Postar um comentário