quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Alertas de Mercado: Algodão , Arroz, Boi Gordo e Trigo


Boi Gordo

Média ponderada do boi gordo no Estado de São Paulo. 
Valores a prazo são convertidos para à vista pela taxa CDI.
Para acompanhar valores do mercado futuro, acesse: BM&FBovespa

Indicador ESALQ/BM&FBovespa

                       Valor R$  Var./dia  Var./mês   Valor US$
22/10/2013   107,95     0,46%     -2,05%      49,65
21/10/2013   107,46     -0,58%    -2,50%      49,34
18/10/2013   108,09     -0,03%    -1,92%      49,72
17/10/2013   108,12      -0,37%    -1,90%     50,01
16/10/2013   108,52      -0,16%    -1,53%     49,87


• por arroba, descontado o Prazo de Pagamento pela taxa CDI/CETIP

Algodão

Entre 15 e 22 de outubro, o Indicador CEPEA/ESALQ com pagamento em 8 dias recuou 1,59%, a R$ 2,12366/lp na terça-feira, 22. No mês, o Indicador acumula baixa de 0,42%, com média de R$ 2,1552/lp. Segundo pesquisadores do Cepea, é a postura mais flexível por parte de tradings que tem pressionado as cotações do algodão no mercado brasileiro.

O dólar mais enfraquecido frente a semanas anteriores e a falta de fundamentos no mercado internacional, que tem ocasionado fechamentos mistos dos contratos futuros na Bolsa de Nova York (ICE Futures), fazem com que tradings negociem a preços inferiores no Brasil. Já produtores consultados pelo Cepea seguem firmes nos valores pedidos – a maioria desses agentes não tem necessidade de “fazer caixa”.

Esses cotonicultores estão voltados à finalização do beneficiamento da pluma e ao cumprimento de contratos. Indústrias, em geral, estão resistentes em aceitar os valores pedidos por vendedores, uma vez que têm expectativa de que os preços sigam em queda.

Arroz 

As negociações envolvendo arroz em casca seguem em ritmo lento no Rio Grande do Sul. Com o clima favorável, produtores gaúchos estão voltados para o plantio. Segundo pesquisadores do Cepea, os poucos vendedores ativos são os que precisam “fazer caixa”, devido à necessidade de cumprir pagamentos de insumos para a nova safra e/ou custeio da safra 2012/13, mas, ainda assim, estão firmes nos preços pedidos.

Do lado comprador, no início da semana passada, beneficiadoras ofertaram preços menores, especialmente nas regiões da Depressão Central e na Zona Sul. Já no meio da semana, algumas indústrias consultadas pelo Cepea tiveram que retornar ao preço original para conseguir fechar negócios. Entre 15 e 22 de outubro, o Indicador ESALQ/Bolsa Brasileira de Mercadorias-BM&FBovespa (Rio Grande do Sul, 58% de grãos inteiros) permaneceu praticamente estável, com ligeira queda de 0,02%, fechando a R$ 33,62/saca de 50 kg na terça-feira, 22. Na parcial de outubro, o Indicador do Arroz acumula perda de 0,94

Trigo

Apesar de a produção de trigo mundial ser recorde nesta temporada, as perdas nas lavouras do Paraná e da Argentina seguem sustentando os preços do cereal na maioria das regiões acompanhadas pelo Cepea. Assim, mesmo em pico de safra no Brasil, os valores estão firmes e superiores aos verificados em outubro de anos anteriores, em termos nominais.

No Rio Grande do Sul, o cenário é favorável ao produtor, que, neste ano, não deve ter dificuldades em negociar a safra, já que as perspectivas de produção e de qualidade são boas. No Paraná, dados do Deral/Seab indicam que a oferta de trigo ainda é restrita, principalmente devido à qualidade, uma vez que a colheita tem avançado com mais intensidade nas regiões prejudicadas pelo clima. 

Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br

0 comentários

Postar um comentário