quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Mato Grosso: Embrapa desenvolve pesquisa sobre a fixação de nitrogênio no capim


Para garantir bons rendimentos na pastagem, levando em conta um baixo custo de produção, uma pesquisa sobre a fixação de nitrogênio no capim está sendo desenvolvida pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Agrossilvipastoril de Mato Grosso. Segundo os responsáveis pelo estudo, em até três anos o método poderá ser disponibilizado para comercialização.

O pesquisador da Embrapa de Sinop, ao norte do estado, Bruno Carneiro e Pedreira, explica que a técnica funciona a partir do uso de uma bactéria. “A aspersão da Azospirillum sobre a semente ou sobre as folhas da planta faz com que a o capim absorva o nitrogênio da atmosfera, excluindo o uso da ureia. Com isso, a planta aumenta o nível de produtividade reduzindo gastos de produção”.

Conforme o pesquisador, este procedimento demonstrou resultados semelhantes ao uso de adubos. “Durante a fase de testes percebeu-se que o desenvolvimento do capim, com a presença das bactérias, foi muito semelhante ao uso da ureia. Outra vantagem da aplicação dos microrganismos é que o efeito perdura por mais tempo na planta”.

Segundo Pedreira, ainda existem alguns pontos que devem ser aprofundados. “A continuação da análise de validade da bactéria na planta e a capacidade de fixação são pontos que ainda devem ser revistos”.

Este estudo virou dissertação de mestrado na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). O estudante de zootecnia, Keihton Damásio Monteiro, ressalta que a pesquisa está relacionada a um dos dilemas do futuro da humanidade. “A demanda mundial pelo consumo de alimentos é cada vez maior, por isso descobertas sobre aumento na produtividade tornam-se cada vez mais importantes”.


Fonte: Agrodebate

0 comentários

Postar um comentário