sexta-feira, 2 de agosto de 2013

Boi Gordo: Escalas de abates curtas estão dando firmeza ao mercado


As escalas de abates curtas estão dando firmeza ao mercado do boi gordo, informou nesta quinta, dia 1º, a Scot Consultoria. A oferta de boiadas terminadas está curta, porém, as vendas de carne no atacado não mostraram sinais de melhora. A situação tem feito com que o mercado do boi gordo permaneça estável nas praças paulistas.

Em Paragominas, no Pará, a situação não é diferente. Houve redução dos abates nos últimos dias em função do fraco escoamento da carne bovina e da menor oferta de bois gordos. Em São Paulo, a referência para o animal terminado está estável em R$ 103,00 a arroba, à vista, e em R$ 104,50 a arroba, a prazo. As indústrias de menor porte pagam até R$ 1,00 a mais por arroba.

O boi casado de animais castrados é negociado por R$ 6,41 o quilo, valor 0,5% menor na comparação semanal.

Dólar compensa desvalorização externa da carne

A valorização do dólar frente ao real compensou as quedas nos preços da carne bovina exportada em moeda norte-americana, informou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Em 12 meses, o dólar acumula valorização de 9,6%, passando de R$ 1,98 em maio de 2012 para R$ 2,17 em junho de 2013, enquanto o preço médio da carne em dólar caiu 8,4% no mesmo período. Segundo pesquisadores do Cepea, a queda nos preços da carne de boi exportada pode ser atribuída ao desaquecimento da economia global, principalmente de países emergentes, como a China.

Apesar do cenário externo desfavorável, o Brasil vem conseguindo manter o volume de carne in natura embarcado. No mercado interno, no final de julho, o ritmo de negócios foi lento. A oferta de animais para abate segue em descompasso em relação à demanda, dificultando as negociações para o início de agosto.

Fonte: Scott Consultoria e Cepea

0 comentários

Postar um comentário