quinta-feira, 11 de julho de 2013

Inovação para o Plantio: Gemax BR - Serra dupla para extração das gemas da cana



O plantio de cana-de-açúcar tradicionalmente é feito através da colocação dos colmos em sulcos. Um sistema que utiliza mudas pré-brotadas produzidas em viveiro através do cultivo de gemas (os “nós” da cana), tem atraído a atenção de diversos produtores, principalmente no Estado de São Paulo. Desenvolvido por pesquisadores do Instituto Agronômico de Campinas (IAC), o sistema conhecido como “MPB” acelera a produtividade e reduz os custos.

Segundo dados do IAC, o plantio convencional consome cerca de 18 toneladas de cana por hectare, enquanto que o plantio feito com as gemas utiliza aproximadamente 2 toneladas para a mesma área. Nas condições ideais, enquanto as lavouras exploradas comercialmente chegam a 160 toneladas por hectare em 13 meses, as lavouras que utilizam o sistema MPB têm potencial de produção de 320 toneladas por hectare no mesmo período.

Um equipamento desenvolvido pela empresa Gemax BR, residente na Prospecta – Incubadora Tecnológica de Botucatu, vai aumentar a produtividade no corte das gemas de cana, atualmente um gargalo para o plantio no sistema "MPB". “Nas propriedades em que o sistema foi adotado a extração das gemas, que são individualmente plantadas nos tubetes e levadas aos viveiros, tem sido feita por cortes manuais, através de guilhotina”, explica Marcius Xavier, doutorando em Energia na Agricultura pela Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu e sócio-proprietário da Gemax BR.

Denominado “Serra Dupla para Cortes de Gema de Cana”, o equipamento desenvolvido e patenteado por Xavier traz ganhos significativos com relação à ergonomia, a segurança e a produtividade. “Em teste preliminares com a serra dupla obtivemos mais de 1500 gemas por hora. Espera-se atingir mais de 2400 gemas por hora, enquanto o corte feito com guilhotina tem produtividade variável devido à operação manual”.

Como a distância entre as gemas é naturalmente irregular, o operador posiciona a haste da planta na máquina que, automaticamente, realiza operações cíclicas de corte com velocidades ajustáveis. O equipamento inclui um sistema de proteção das gemas, que evita o choque mecânico durante o corte. “Preservar a integridade da gema é importante para assegurar a qualidade do processo de germinação das mudas em viveiro”, afirma Xavier.

Como as demais empresas residentes da Prospecta, a Gemax BR tem seu foco na pesquisa e no desenvolvimento de inovações tecnológicas. “Este nosso primeiro produto busca ampliar a adoção do plantio através de mudas, com ganhos na produtividade e qualidade do canavial”, ressalta Xavier. “Nossa intenção é contribuir com soluções simples e inovadoras para a cadeia produtiva”.

Após os testes finais, em escala de produção, a Gemax BR deve disponibilizar o equipamento comercialmente a partir de setembro de 2013.

Mais informações e contatos: gemax.br@hotmail.com e (14)3880-7210

0 comentários

Postar um comentário