sexta-feira, 3 de maio de 2013

Desvalorização da carne suína é a maior em 10 anos


Os preços da carcaça comum suína negociada no atacado da Grande São Paulo, principal centro de comercialização do País - pode, então, ser tomado como "termômetro" das vendas de carne -, vêm recuando mês a mês, desde janeiro de 2013. A média da carne suína (carcaça comum) teve redução de 11% entre março e abril. Quedas entre esses dois meses são comuns, mas o percentual agora registrado é o maior da série de preços do Cepea, iniciada em 2004. Apesar disso, o valor absoluto do mês corrente é o maior para abril, em termos nominais. Já se observada a série deflacionada (IPCA), nesses 10 anos, constatam-se seis anos em que o preço em abril é maior que o atual. Em situação oposta, as peças bovinas com osso dianteiro e ponta de agulha, concorrentes da carne suína, valorizaram-se de março para abril. 

Entre 25 de abril e 2 maio, o quilo da carcaça comum no atacado da Grande São Paulo seguiu recuando, 2,9%, passando para a média de R$ 3,95/kg na última quinta-feira, 2. A carcaça especial apresentou queda de 2,2% no período, a R$ 4,27/kg.

Assim, o preço pago ao produtor seguiu pressionado principalmente no Sudeste brasileiro. O recuo mais intenso, de 9,2%, foi verificado em Minas Gerais, onde o quilo do animal passou a ser comercializado na média de R$ 2,68 nessa quinta. Em São Paulo, a queda foi de 3,9%, a R$ 2,49/kg.

No Sul do País, o preço baixou 3,8% no período - a média no estado foi para R$ 2,29/kg nessa quinta. Já em Santa Catarina e Rio Grande do Sul, de uma semana para outra, o suíno valorizou, respectivamente, 1,2% e 0,8%, indo para as médias de R$ 2,48/kg e R$ 2,42/kg.


Indicadores de Preços do Suíno Vivo CEPEA/ESALQ



MG
SP
PR
SC
RS

25/abr
2,95
2,59
2,38
2,45
2,40

02/mai
2,68
2,49
2,29
2,48
2,42

Var. Semanal
-9,2%
-3,9%
-3,8%
1,2%
0,8%


Preço recebido pelo produtor (R$/Kg), sem ICMS

Fonte: Cepea/Esalq.
Para mais informações, acesse: www.cepea.esalq.usp.br/suino

0 comentários

Postar um comentário