quinta-feira, 18 de abril de 2013

Embrapa na Agrishow e a Produção integrada de morango


A Produção Integrada (PI Brasil) é um programa coordenado pelo Mapa, passível de certificação chancelada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e que conta com o apoio de um elevado número de instituições de pesquisa, ensino e extensão para seu fomento, desenvolvimento técnico e formação de multiplicadores envolvidos no processo de conversão do sistema convencional para o sustentável. 

Vem atender a busca dos setores produtivos por alternativas ao denominado sistema convencional de produção, visando racionalizar e reduzir o uso de agroquímicos, estimular o equilíbrio do ecossistema e manter a segurança e qualidade dos produtos. A PIMo se apresenta como alternativa viável de orientação para implementação de boas práticas agrícolas associadas à rastreabilidade em todas as etapas do processo produtivo.

No Estado de São Paulo, um exemplo de sucesso da PI Brasil foi a obtenção da certificação da PIMo na região de Atibaia, Jarinu e Valinhos em 2011. Na safra 2012 os produtores certificados já comercializaram morangos com o selo Brasil Certificado – Agricultura de Qualidade.

Conforme Fagoni Calegario, pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente responsável pelo programa na Embrapa, “com o monitoramento de pragas e doenças, o seu controle só ocorre quando há real necessidade. As primeiras tentativas são feitas usando-se controles físicos e biológicos. Em último caso utilizam-se os agrotóxicos. E mesmo assim, as normas da PIMo só permitem utilização de produtos registrados pelo Mapa, de forma disciplinada e com os devidos cuidados de proteção ao aplicador. Cada utilização precisa ser anotada no caderno de campo, que será depois auditado”.

Se todas essas etapas forem cumpridas adequadamente, no final do processo o morango PIMo recebe o selo Brasil Certificado, chancelado pelo Inmetro.

Por priorizar o equilíbrio da planta com monitoramento da qualidade de água e solo e de pragas e doenças, a Produção Integrada promove eficiência no uso de recursos naturais e redução nos riscos de contaminação ambiental e humana. Contribui para a sustentabilidade pela redução de gastos com agrotóxicos e consequentemente redução de contaminação do ambiente, dos trabalhadores rurais e consumidores. As capacitações técnicas e obrigatoriedade de contratação de mão de obra especializada promovem aumento de emprego e renda e bem estar social.

A pesquisadora conta que o processo envolvendo os agricultores da região começou em 2006 na região de Atibaia, SP. “Foi um procedimento trabalhoso, mas que resultou em ganhos para os produtores. A necessidade agora é a divulgação do selo, para que seja conhecido por consumidores e pelos demais produtores”, enfatiza.

Cristina Tordin, MTB 28499
Embrapa Meio Ambiente
(19) 3311.2608
cristina.tordin@embrapa.br

0 comentários

Postar um comentário