quinta-feira, 28 de março de 2013

Mato Grosso terá novo complexo intermodal para escoar exportações


Dez milhões de toneladas de grãos serão exportados por ano através do Complexo Intermodal de Rondonópolis (CIR), chegando a 15 milhões (t) em 2015. Construído com aporte de R$ 700 milhões, assim que entrar em operação, o novo terminal deverá “desafogar” o congestionamento de caminhões que descarregam nos outros terminais do Estado, de acordo com a América Latina Logística (ALL). Na segunda-feira (25), uma fila de 100 km se formou na BR-364 a partir do Terminal de Alto Araguaia.

Em nota, a ALL informa que o congestionamento de veículos ocorreu porque alguns clientes movimentaram acima do previsto em contrato, desrespeitando as cotas de produtos. Algumas medidas foram adotadas pela empresa, como um novo sistema de controle de origem de cargas e um travamento na emissão de senhas e notas. A ALL garante ainda que opera em capacidade máxima descarregando média de 65 caminhões/hora e em 3 turnos, com a vazão de 1,2 mil caminhões/dia.

Porém, segundo o presidente da Fettremat, Luiz Gonçalves da Costa, faltam vagões no terminal de Itiquira e os pátios de Alto Araguaia e Alto Taquari continuam lotados. “Tem muitos caminhão à espera, escravizando os motoristas”. Costa defende o fim da concessão da ALL e cobra do governo que obrigue as embarcadoras a construírem armazéns de estocagem para que o motorista não precise aguardar o embarque do grão. Para o diretor da Famato, Nelson Piccoli, a fila de caminhões também ocorre em decorrência dos problemas estruturais nos terminais, que não comportam mais a demanda do Estado. Há ineficiência inclusive nos portos, segundo ele, com a incapacidade de colocar os grãos nos navios, fato que provocou o cancelamento de um contrato de compra do Brasil com a China.

Fonte: Gazeta Digital

0 comentários

Postar um comentário