quinta-feira, 28 de março de 2013

Alertas de Mercado: Arroz, Frango e Suínos


Arroz

Os preços do arroz em casca seguem em queda no mercado gaúcho, de acordo com levantamentos do Cepea. O movimento de baixa vem sendo observado há pelo menos quatro meses. Desde novembro/12, com a expectativa de possível safra crescente no Brasil, compradores já começaram a pressionar as cotações.

Agora, vendedores tentam negociar o arroz de safras anteriores, enquanto compradores ofertam preços menores a cada dia, tanto para o arroz “mais velho” quanto para o da safra nova. Vendedores tentam resistir, mas a disponibilidade de armazéns é baixa e a colheita segue avançando. Nos últimos dias, nem mesmo as condições climáticas desfavoráveis à colheita conseguiram reduzir as quedas de preços.

A colheita deve se intensificar nos próximos dias, o que pode complicar ainda mais as condições logísticas desfavoráveis (baixa disponibilidade de armazéns e concorrência em transporte com soja e milho).

Frango

Os preços do frango vivo e também da carne continuam em queda, conforme apontam dados do Cepea. Nesta semana, devido ao feriado religioso na sexta-feira, colaboradores do Cepea comentam que o mercado está ainda mais enfraquecido, visto que parte dos consumidores acaba dando preferência à carne de peixe.

Do lado da oferta, observa-se estabilidade, mas ainda superior à demanda. Apesar desse cenário, o avicultor paulista pôde recuperar parte do seu poder de compra no acumulado de março, já que as cotações dos principais insumos usados na atividade (milho e farelo de soja) registraram forte queda no correr deste mês.

Suínos

A carne suína continua se desvalorizando no mercado atacadista nesta última semana do mês. Segundo colaboradores do Cepea, a tradição religiosa de não consumir carnes, em especial a suína e a bovina, na Quaresma tem se enfraquecido, mas a redução da demanda por este motivo ainda não pode ser negligenciada na análise do mercado suinícola brasileiro.

Neste início de ano, representantes da indústria consultados pelo Cepea apontam que o principal motivo das sucessivas desvalorizações da carne no atacado e, por consequência, do suíno vivo, é a retração da demanda. Nem mesmo a isenção de impostos federais sobre a comercialização das carnes no varejo, em vigor desde o início de março, tem impulsionado as vendas.


Fonte: Cepea– www.cepea.esalq.usp.br

0 comentários

Postar um comentário