terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

MAPA: Desafio é fomentar a produção integrada em 2013


Levar à mesa do brasileiro produtos fabricados com sustentabilidade e devidamente certificados é um dos desafios do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em 2013. Para garantir esse controle e a origem dos alimentos, técnicos do Ministério coordenam as ações do Projeto Produção Integrada para disseminar a produção agropecuária de alta qualidade junto às 30 cadeias produtivas brasileiras.

Os bons resultados obtidos a partir de produtores de morango de São Paulo e que já dispõem do selo Brasil Certificado, impulsionam a prática junto a outros mercados. A pesquisadora da Embrapa Meio Ambiente de Jaguariúna, Fagoni Calegario, conta que o processo envolvendo os agricultores da região começou há seis anos em áreas de produção de morangos que apresentavam problemas de excesso de resíduos de agrotóxicos e problemas fitossanitários. “Foi um procedimento trabalhoso, mas que resultou em ganhos para os produtores. A necessidade agora é a divulgação do selo, para que seja conhecido por consumidores e pelos demais produtores”, salienta. A primeira safra certificada da fruta foi produzida no ano passado.

O coordenador de Produção Integrada de Cadeia Agrícola do Ministério, Marcus Vinícius de Miranda Martins, explica que, inicialmente, houve resistência por parte dos agricultores de Atibaia e municípios paulistas da região, mas que aos poucos aderiram ao sistema de produção integrada. Com os resultados bem sucedidos dessa região, o Mapa trabalha para a implementação de ações em outros estados de maneira a atender as demandas de diferentes cadeias, entre as quais a uva processada, o arroz, tabaco e oliveira, por exemplo, no Rio Grande do Sul.

O objetivo será elaborar normas técnicas específicas para cadeia produtiva, com áreas temáticas que devem ser cumpridas pelos produtores com requisitos obrigatórios, recomendados e proibidos. Após este processo, os fabricantes poderão solicitar o selo Brasil Certificado emitido pelo Instituto Nacional de Metrologia (Inmetro) por uma certificadora credenciada. “Os processos terão acompanhamento dos técnicos e atenderão a todos os requisitos da legislação brasileira, inclusive a trabalhista e a ambiental”, explica o coordenador.

As principais vantagens da adesão ao selo é a sustentabilidade do processo de produção e conservação dos recursos naturais, redução no uso de insumos (fertilizantes, agrotóxicos, água, energia elétrica), ganho de competitividade, maior capacidade para permanência nos mercados conquistados e acesso a mercados mais exigentes, além da maior produtividade, diminuição dos custos de produção e maximização do lucro. “Teremos uma oferta de produtos mais sadios e rastreáveis”, destaca o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do Mapa, Caio Rocha.

Saiba mais:

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) está focada na adequação de sistemas produtivos para geração de alimentos e outros produtos agropecuários de alta qualidade e seguros, mediante a aplicação de recursos naturais e regulação de mecanismos para a substituição de insumos poluentes, garantindo a sustentabilidade e viabilizando a rastreabilidade da produção agropecuária. Trata-se de um processo de certificação voluntária no qual o produtor interessado tem um conjunto de Normas Técnicas Específicas (NTE) a seguir, as quais são auditadas nas propriedades rurais por certificadoras acreditadas pelo Inmetro.

Fonte: MAPA

0 comentários

Postar um comentário