quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Pêssego: Novo Cultivar da Embrapa BRS FASCÍNIO


A pesquisadora Maria do Carmo Raseira explica como foi obtida a Fascínio. “Ela foi obtida por polinização aberta do cruzamento entre a cultivar Chimarrita e a nectarineira Linda (1993). Ramos desta planta foram enxertados e colocados na coleção da Embrapa a fim de serem comparados a outras cultivares e seleções”. 

Maria do Carmo falou também que em 2004 novas plantas (clones ) foram também plantadas em Jarinu, em uma unidade de observação, localizada na propriedade de Norival Gallo, onde a cultivar será, agora, lançada. “O tamanho da fruta e a baixa acidez são características marcantes da BRS Fascínio”, falou.

A BRS Fascínio produz frutas de polpa branca esverdeada com traços de vermelho, e textura não fundente – não se ‘esborracha’ ao apertá-la - no ponto de colheita. O caroço em relação à polpa é pequeno e é semi-aderente . A floração e a maturação são mais tardias que BRS Kampai e BRS Rubimel, cultivares anteriormente lançadas pela Embrapa.

Segundo a pesquisadora, a produção por planta variou, conforme as condições do ano. Em plantas adultas, em Pelotas houve uma produção de 58,8 kg/planta. Em Jarinu as produções foram maiores, chegando a 90kg/planta. “A produtividade, não é a característica mais importante desta cultivar. Provavelmente, o tamanho das frutas e a firmeza da polpa que é branca e doce, sejam os atributos que mais chamam a atenção”, identificou.

Como indicação ao plantio da nova cultivar, Maria do Carmo fala que o solo deve ser profundo e bem drenado e, preferentemente, rico em matéria orgânica. “ A BRS Fascínio adapta-se bem em regiões com 200 a 300 horas de frio hibernal, caso não se tenha esta condição, será necessário tratamento químico para a superação da dormência”, observou.

Em Jarinu há 400 plantas em teste, que demonstraram boa adaptação àquela região. As frutas da BRS Fascínio são recomendadas para consumo in natura, já que o mercado paulista tem preferência por pêssegos de polpa branca, doce, com baixa ou nenhuma acidez perceptível e tamanho grande.

Os curiosos e interessados na produção de pêssegos podem obter mais informações na tarde de campo, no Sítio dos Irmãos Gallo, Bairro Maracanã, em Jarinu/SP (na antiga Estrada de Ferro Bragantina, Km 13, entre as antigas estações de Campo Largo e Maracanã). Ou ainda, na própria unidade de pesquisas onde foi desenvolvida a tecnologia, através da pesquisadora Maria do Carmo Raseira, na Embrapa Clima Temperado, através do (53) 3275-8155.

Cristiane Betemps – 7418RS
Embrapa Clima Temperado
Cristiane.betemps@cpact.embrapa.br
(53) 3275-8215

0 comentários

Postar um comentário