terça-feira, 27 de novembro de 2012

Mato Grosso: Novas cultivares de uva e de maracujá são opções para produtores


A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) lançou na sexta-feira ( 23), em Sinop (MT), duas novas cultivares de frutas para regiões de clima tropical. A uva para suco BRS Magna e o híbrido de maracujazeiro azedo BRS Rubi do Cerrado foram validados em propriedades de Mato Grosso e são boas opções para os fruticultores do estado.

A cerimônia de lançamento dos materiais foi realizada no auditório da Embrapa Agrossilvipastoril e contou com a participação de pesquisadores da Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves-RS e campo experimental de Jales-SP) e da Embrapa Cerrados (Brasília-DF) que trabalharam no desenvolvimento da cultivar de uva e de maracujá, respectivamente. Também estiveram presentes representantes da Embrapa Produtos e Mercado, que será responsável pela comercialização dos materiais nos primeiros anos, por meio do escritório de Campinas (SP).

O lançamento, que contou com apresentação dos materiais e degustação do suco, foi feito para uma plateia formada principalmente por agentes da assistência técnica e da extensão rural de instituições públicas e privadas de Mato Grosso, além de representantes do governo federal, estadual e municipal.

BRS Magna

A cultivar de uva BRS Magna foi validada em Mato Grosso na fazenda Melina, em Nova Mutum. O novo material tem como principal característica a ampla adaptação climática, podendo ser cultivada em regiões de clima temperado, como a Serra Gaúcha, ou tropical úmido, como em boa parte do estado de Mato Grosso. Tem um ciclo de produção de médio a precoce, o que possibilita a colheita de duas safras por ano em regiões tropicais. A nova cultivar apresenta um sabor aframboesado, uma coloração violácea intensa e um alto teor de açúcar – de 17 a 19 ° Brix –, podendo ser utilizada para a elaboração de sucos pura ou em conjunto com outras variedades. Com o peso médio de 200g, o cacho é levemente compactado, a baga tem tamanho de 18mm x 20 mm e a produtividade está em torno de 25 a 30 toneladas/ano.

A pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho, Patrícia Ritschel, destaca ainda a presença nesta cultivar de grande quantidade de compostos fenólicos e antocianas. Tais substâncias são benéficas para a saúde, ajudando na prevenção de doenças cardiovasculares.

O agricultor e proprietário de uma indústria de suco, Michel Leplus, testou a BRS Magna em sua fazenda e ficou empolgado. Segundo ele, esta cultivar tem grande potencial para a região Centro-Oeste.

“Ela tem uma cor extraordinária, uma estrutura muito boa e bom paladar. É possível fazer um suco puro desta cultivar, sem precisar se preocupar com quantidade de mistura. Além disso, ela demonstrou uma boa capacidade de produção e um manejo muito razoável, com pouca folha e uma formação muito bonita. Acredito que seja a cultivar para nossa região”, disse.

A BRS Magna é a terceira cultivar de uva para regiões tropicais lançada pela Embrapa Uva e Vinho. Anteriormente já haviam sido disponibilizadas a BRS Cora e a BRS Violeta. Estes materiais são o resultado de um esforço para expandir a produção para outras regiões do país.

“O carro chefe de nosso programa de melhoramento genético é justamente desenvolver cultivares para as regiões tropicais. O Brasil tem 90 mil hectares de uva, sendo quase 50 mil só no Rio Grande do Sul. Ou seja, usando cultivares adaptadas às regiões de clima temperado. E levando em consideração o potencial das regiões tropicais do país, buscamos o desenvolvimento de novos materiais não só pensando no teor de açúcar maior e em um bom equilíbrio de sólidos solúveis, mas também com diferentes ciclos, ou seja, precoces, intermediários e tardios. Assim você otimiza a estrutura de processamento nestas regiões”, explica o chefe-geral da Embrapa Uva e Vinho, Lucas Ressureição Garrido.




BRS Rubi do Cerrado

O maracujá BRS Rubi do Cerrado foi validado pela cooperativa Coopernova, em Terra Nova do Norte, na região Norte do Mato Grosso, onde obteve produtividade acima de 50 toneladas por hectare. Produz frutos de casca aproximadamente 50% de frutos de casca vermelha ou arroxeada com peso de 120 a 300 gramas (média de 170g) e rendimento de suco em torno de 35%.

Trata-se de um material de dupla aptidão, tanto para mesa quanto para a indústria, com melhor resistência ao transporte, maior tempo de prateleira e elevados níveis de resistência às principais doenças do maracujazeiro (virose, bacteriose, antracnose e verrugose).

“Pelo fato de ser desenvolvida a partir de espécies silvestres a BRS Rubi do Cerrado tem um nível de resistência maior, principalmente às doenças da parte aérea. Outra vantagem são as características físicas e químicas da poupa, com a poupa mais forte, rendimento acima de 35% e teor de sólidos solúveis acima de 14° brix, que é uma exigência da indústria”, explica o pesquisador da Embrapa Cerrados Fábio Faleiro.

A BRS Rubi do Cerrado é a quarta cultivar de maracujá desenvolvida pela Embrapa e validada em Mato Grosso. Anteriormente já haviam sido lançadas a BRS Gigante Amarelo, BRS Sol do Cerrado e BRS Ouro Vermelho.

De acordo com o diretor técnico da Coopernova, Márcio Semprebom, esta nova cultivar é muito promissora para a região.

“Tínhamos a necessidade de um material que atendesse nossas necessidades, com boa produtividade e resistente às doenças. A BRS Rubi do Cerrado veio a calhar. Além de ser mais resistente às doenças, ela tem dupla aptidão, servindo bem tanto para o uso da poupa quanto para o consumo in natura”, disse Semprebom.

Comercialização

A comercialização das gemas da BRS Magna e das sementes da BRS Rubi do Cerrado será feita pela Embrapa Produtos e Mercado, escritório de Campinas (SP). No caso da cultivar de uva, os materiais estarão disponíveis a partir de julho de 2013, porém já é possível solicitar a reserva. As sementes de maracujá, por sua vez, já estão disponíveis. Os produtores e viveiristas interessados deverão solicitar a reserva de sementes. Após o cadastro de reserva, o cliente deverá aguardar o contato da Embrapa, por email. 


Para mais informações sobre as reservas dos materiais, acesse:www.campinas.spm.embrapa.br
Telefone (19) 3749-8888, fax (19) 3749-8890 
email sac@campinas.spm.embrapa.br.

Gabriel Faria (mtb 15624/MG JP) 
Embrapa Agrossilvipastoril
gabriel.faria@embrapa.br

0 comentários

Postar um comentário