sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Embrapa Pecuária Sudeste inicia programa Bifequali de transferência de tecnologias


Conhecida por importantes programas de transferência de tecnologia em bovinos de leite, como o Balde Cheio, a Embrapa Pecuária Sudeste lançou nesta semana o programa Bifequali TT, voltado para a pecuária de corte de excelência.

A ideia é transferir tecnologias ao setor produtivo na região Sudeste, a partir da identificação de demandas. As ações do programa foram divididas em dois comitês: conselho estratégico e conselho técnico.

O estratégico, presidido pelo pesquisador da Embrapa Pecuária Sudeste Alexandre Pedroso, fará a gestão, definindo parcerias e direcionamentos do programa. Já o conselho técnico, composto principalmente por consultores externos (pecuaristas, pesquisadores de outras instituições, economistas, técnicos de empresas do setor, etc), fará sugestões de quais tecnologias devem ser transferidas aos técnicos extensionistas, com base nas demandas identificadas.

A primeira reunião do conselho técnico ocorreu no dia 30 de outubro, na Embrapa Pecuária Sudeste (São Carlos, SP), e marcou o início dos trabalhos do Bifequali TT. Nesta reunião os participantes foram divididos em três grupos de trabalho para discutir indicadores da efetividade do processo de transferência de tecnologia. Aprovados esses indicadores, o programa deve definir as tecnologias a serem transferidas.

A reunião teve a participação de cerca de vinte convidados de empresas e faculdades como Agropecuária Pessina, Scot Consultoria, Instituto Aequitas, MB Agro, Unesp Botucatu e Jaboticabal, Bellman e Pfizer. Também participaram órgãos ligados ao governo de São Paulo como a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati). Outras instituições já aceitaram fazer parte, mas não puderam comparecer ao primeiro encontro.

O grupo deve se reunir semestralmente, e também ser consultado por e-mail. Para a pesquisadora da Embrapa Pecuária Sudeste Patrícia Menezes Santos, chefe-adjunta de transferência de tecnologia, o encontro foi positivo principalmente pela interação com o ambiente externo. "Esse diálogo nos ajuda a levantar as demandas do setor produtivo e também a levar nossas tecnologias para fora", explica.

De acordo com Alexandre Pedroso, existe grande carência de programas como este para pequenos e médios produtores de corte no Sudeste. Somam-se a isso as várias tecnologias validadas que a Embrapa Pecuária Sudeste já possui, em manejo de pastagens, suplementação alimentar, boas práticas, melhoramento, etc.

"Temos um programa de pesquisa forte em gado de corte, e sentíamos falta de uma maior interação com o setor produtivo", afirma Patrícia. 


Larissa Morais MTb/SP 48218 Embrapa Pecuária Sudeste 
(16) 3411-5625 

0 comentários

Postar um comentário