quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Embrapa: Lançamento oito novas cultivares de frutas


O Brasil é o terceiro produtor mundial de frutas, que abastecem quase que totalmente o mercado interno. Porém, o país participa apenas em 15º lugar no mercado mundial. Por isso, este é um mercado em expansão para as frutas produzidas no país. Para ajudar o produtor com alternativas, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, está apresentando aos produtores e consumidores, neste final de ano, oito novas cultivares de frutas para produção em várias regiões brasileiras.

E para que este público tenha acesso a todas as informações sobre estas novas cultivares, a Embrapa irá realizar uma apresentação a jornalistas e autoridades. O encontro acontecerá na quinta-feira 29 , às 15 horas, em sua Sede, em Brasília.

Cultivares lançadas

BRS Carimbó é a cultivar de cupuaçu desenvolvida pela Embrapa Amazônia Oriental (Belém, PA) que apresenta mais produtividade e resistência em relação às variedades normalmente utilizadas pelos produtores. Possui resistência à vassoura-de-bruxa, principal doença que ataca o cupuaçuzeiro, que pode até levar a planta a morte. A sua produtividade chega a ser 2,5 vezes maior do que a média de produtividade do Estado do Pará. Pode ser utilizado tanto para a produção de polpa quanto de semente.

A cultivar de banana BRS Platina, desenvolvida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical (Cruz das Almas, BA), tem como principal característica de produção a resistência ao mal-do-Panamá e a tolerância à Sigatoka-amarela. Os frutos da BRS Platina são muito semelhantes aos da banana Prata Anã, tanto na forma quanto no sabor. Em relação à produção, o rendimento de frutas de primeira qualidade na nova cultivar é de aproximadamente 90%, o que representa maior lucratividade ao produtor.

A cultivar de maracujá BRS Rubi do Cerrado, desenvolvida pela Embrapa Cerrados (Planaltina, DF) produz aproximadamente 50% de frutos de casca vermelha ou arroxeada com peso de 120 a 300 gramas, com teor de sólidos solúveis de 13 a 15° Brix e rendimento de suco em torno de 35%. Na região do DF e MT, dependendo das condições de manejo da cultura, pode atingir produtividades superiores a 50 ton/ha no primeiro ano de produção. Maiores níveis de resistência às principais doenças do maracujazeiro e elevados níveis de produtividade são as duas características mais importantes desta cultivar. A maior resistência ao transporte, coloração amarelo forte e bom rendimento de polpa e maior tempo de prateleira também merecem destaque.

A cultivar de pêssego BRS Fascínio, desenvolvida pela Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS) produz frutos grandes, de polpa branca, sabor doce, consistência firme e boa produtividade. A floração e maturação da cultivar são mais tardias que as cultivares BRS Kampai e BRS Rubimel, lançamentos anteriores de pêssego da Embrapa. As características mais importantes dessa cultivar são o tamanho das frutas e a firmeza da polpa. Durante a fase de validação, a produção em plantas adultas chegou a cerca de 90kg/planta.

Também recentemente lançado pela Embrapa Clima Temperado, o pêssego BRS Regalo, de polpa branca e doce, apresenta ótima estabilidade de produção e é indicado para o Sul do País.

A BRS Vitória é uma cultivar de uva preta sem semente desenvolvida pela Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves, RS), de sabor aframboesado e agradável, sendo recomendada para o consumo in natura. Sua produção é vigorosa e fértil, seu ciclo de produção é precoce, e pode ser cultivada com sucesso nas regiões Noroeste de São Paulo e Minas Gerais, Norte do Paraná e no Vale do Submédio São Francisco. Além disso, é a primeira cultivar brasileira de uva sem semente tolerante ao míldio, principal doença fúngica da videira, que pode infectar todas as partes verdes da planta causando maiores danos quando afeta as flores e os frutos. Sua produção chega a alcançar 25 a 30 t/ha. Apresenta teor de açúcar de 19 a 23º Brix.

A cultivar de uva BRS Magna, também desenvolvida pela Embrapa Uva e Vinho, é recomendada para elaboração de suco varietal ou em corte com outras cultivares visando à melhoria do sabor, cor e doçura. Apresenta boa adaptação climática, podendo ser cultivada em condições de clima temperado e tropical úmido. A cultivar apresenta vigor mediano e boa fertilidade de gemas, com média de produtividade em São Paulo, Rio Grande do Sul e Mato Grosso entre 25 e 30 t/ha e teor de açúcar em torno de 17 e 19º Brix.

A última cultivar de fruteira a ser lançada pela Embrapa neste ano é a do limão tahiti BRS Passos. Esta lima ácida é uma alternativa de produção para a entressafra no Distrito Federal e Entorno. Sua característica principal é a produção elevada na entressafra (julho até novembro), com adequado manejo de adubação para esta finalidade. No Distrito Federal, uma das regiões de produção desta fruta, a produção do limão cai em até 80% na entressafra, e a caixa do produto já chegou a ser vendida por até R$ 80,00, enquanto que na safra o preço é de cerca de R$ 5,00. É boa alternativa para a agricultura familiar, já que, mesmo numa área de produção muito pequena, o limão gera lucro. Além disso, ele pode ser produzido na forma de consórcio com outras culturas, tais como algumas hortaliças.

A Embrapa Produtos e Mercado é a Unidade da Embrapa responsável pela produção e comercialização das mudas das cultivares de fruteiras desenvolvidas pelos programas de melhoramento da Empresa. Para saber mais sobre estas e outras cultivares da Embrapa, visite a página www.embrapa.br/cultivares.



Jurema Iara Campos (MTb 1300/DF)
E-mail: jurema.campos@embrapa.br
Fone: (61) 3448-1712

0 comentários

Postar um comentário