sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Emater-MG: Software agiliza interpretação de resultados de análises de solo e vegetal


Facilitar e agilizar a interpretação dos resultados de análises de solo e tecido vegetal. Essas são algumas das vantagens do Sistema de Fertilidade do Solo Ruben Ramalho Sobrinho (SFS), implantado na Emater-MG a partir de 2012. O software tem auxiliado os extensionistas na orientação dos agricultores familiares e ainda gera um banco de dados com informações sobre fertilidade do solo do território mineiro.

O SFS foi desenvolvido pela Intelligence Family em parceria com a Assessoria de Informática da Emater-MG (Asinf), com assessoria técnica do coordenador de Fertilidade do Solo da empresa, Márcio Stoduto de Mello. O nome do sistema é uma homenagem ao engenheiro agrônomo, Ruben Ramalho, falecido em 2009 e que trabalhou na Emater durante 32 anos.

“O aumento de produção e de produtividade passa pela melhoria da fertilidade dos solos. Começamos com um software conhecido por STODUTO.EXE, há 20 anos. O Ruben Ramalho, gerente da Asinf na época, vislumbrou a importância de um software para esta área de conhecimento na Emater-MG e estimulou a participação de todos nesta empreitada. Depois melhoramos o sistema com a evolução rápida das ferramentas de informática, internet e dos conhecimentos de fertilidade do solo”, afirma Márcio Stoduto.

Foram 4 meses de trabalho. Os extensionistas da Emater-MG têm acesso ao programa pela intranet. Ao serem inseridos no software os dados das análises de solo e vegetal, os cálculos são feitos pelo o SFS e as recomendações aparecem na tela. O programa leva em conta, por exemplo, as fragilidades e potencialidades do solo e posição no relevo. Isso favorece a recomendação de manejo do solo para a sua conservação.

Segundo Márcio Stoduto, as principais vantagens do SFS estão relacionadas à facilidade de realizar as interpretações e recomendações com rapidez e segurança. “Isso aumentará a qualidade do serviço de assistência técnica e extensão rural”, diz o coordenador.

Para a correção do solo, o sistema indica as doses de calcário com a estimativa de variação do pH, cálcio e magnésio. Para os resultados do subsolo, são calculadas as doses de gesso agrícola. O software também alerta sobre solos arenosos e faz a interpretação de resultados de análise foliar e de outras partes das plantas para se verificar o estado nutricional.

Outro ponto importante é que o SFS gera um banco de dados com informações sobre fertilidade do solo do território mineiro. As informações ficarão armazenadas no servidor central da Emater-MG. Para Stoduto, o banco de dados irá agilizar o trabalho dos extensionistas já que as informações disponibilizadas ajudarão os profissionais a conhecer melhor as características dos solos do Estado.

“Conhecendo a fertilidade do solo no município ou região, o planejamento do trabalho ficará facilitado, e serão maiores as chances de se obter sucesso nas recomendações de corretivos e fertilizantes, na compra em conjunto de insumos e na implantação de programas de incentivo à melhoria da fertilidade dos solos, entre outras possibilidades”, diz Stoduto.



Fonte: Agência Minas de Notícias

0 comentários

Postar um comentário