quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Retrato do Emprego no Campo em 2012


Apesar de não ser o principal setor empregatício no País, o agronegócio é um dos maiores quanto ao saldo proporcional – diferença entre admissões e desligamentos – de trabalhadores empregados em 2012. De janeiro a setembro, foram 1,051 milhões de novos postos de trabalho ante 914,9 mil desligamentos, que resultou em um saldo proporcional de 8,76%. O valor só não é maior que o da construção civil, com 9,48% e saldo líquido de 273,9 mil empregos.

Entre os setores que mais empregaram, em primeiro lugar está o de serviços, com 6,2 milhões de admissões e 5,6 milhões de desligamentos, com diferença de 4,33%. Em seguida, vem comércio (3,7 milhões de admissões e 3,5 milhões de desligamentos; 2,1%) e indústria de transformação (3,1 milhões e 2,8 milhões; 3,15%).

No mês de setembro, a agricultura – por motivos sazonais – foi o único setor que registrou queda no emprego, de 19,014 mil ao todo (-1,13%). No entanto, o inidicador sugere uma redução na queda, comparativamente ao resultado de 2011, quando foram 20,874 mil postos a menos (-1,21%). As informações são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério de Trabalho e Emprego (MTE).

Fonte: Mapa

0 comentários

Postar um comentário