terça-feira, 9 de outubro de 2012

Palestra: Arroz Agro-ecológico TERRA LIVRE


Nos últimos anos a marca de arroz 'TERRA LIVRE' apresentou uma significativa expansão no mercado, o que pode ser constatado pela evolução de mais de seis vezes do volume produzido entre as safras 2004/05 e 2011/12, quando a produção passou de 43.205 para 285.000 sacas. 

Esse crescimento foi possível porque nesse período foi se consolidando um sistema que compreende a produção-armazenamento-beneficiamento-vendas-logística, o qual envolve um conjunto de atores, iniciando com os produtores rurais assentados, que apresentam diferentes formas e grau de organização, que vão desde as formais, como cooperativas e associações, até as informais, geralmente constituídas de grupos de agricultores que moram próximos, o que facilita a nucleação. 

Entre as formais destacam-se Cooperativas com funções como armazenamento, beneficiamento, vendas, etc.. Ainda perpassa esse sistema um corpo de assistência técnica que nos últimos anos vem se dedicando a migração do cultivo convencional para o ecológico, isto é, sem uso de venenos. 

O sistema vem se formando como uma resposta as necessidades de superar os entraves que se colocam no processo de consolidação da marca do arroz 'TERRA LIVRE' o que ocorre em diversos elos dessa cadeia de produção. Por isso, hoje em dia, o sistema desempenha funções pertinentes ao setor de suprimentos, a produção agrícola propriamente dita, ao processamento, a distribuição e consumo. 

Tal situação elevou o nível de complexidade do sistema, com reflexos em seu sistema de governança, o que exige contínuo aperfeiçoamento para o atendimento não só das necessidades atuais, como também no médio e longo prazo. 

Nesse sentido, essa palestra apresenta o estudo sobre esse sistema, com seus principais atores e suas funções, seus pontos fracos e fortes. Conhecimento utilizado para embasar estratégias com a finalidade de contribuir para a consolidação do arroz 'TERRA LIVRE', agora em base agro ecológica.

A participação é gratuita
INSCREVA-SE AQUI


Fonte: IEA

0 comentários

Postar um comentário