quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Alertas de Mercado: Algodão, Café e Trigo



Algodão


Os valores da pluma permaneceram em alta nos últimos dias, segundo levantamentos do Cepea, apesar da baixa liquidez. A oferta no mercado spot está mais limitada, uma vez que cotonicultores têm priorizado o embarque de contratos e apostado que a venda em períodos de entressafra possa gerar maior remuneração, compensando a estocagem.

Para o mercado disponível, produtores não têm sido flexíveis nos preços, o que também impulsiona a média. Indústrias que já estão abastecidas têm preferido se manter fora de mercado enquanto os preços estão em alta. Contudo, aqueles que necessitam de pluma para entrega imediata têm aceitado os pedidos de vendedores, mas apenas para pequenos volumes.

Entre 23 e 30 de outubro, o Indicador CEPEA/ESALQ com pagamento em 8 dias subiu 1,1%, fechando a terça-feira, 30, a R$ 1,5671/lp. No mês, no entanto, o Indicador ainda acumula queda, de 0,74%.

Café

O volume de café arábica que está sendo comercializado na atual temporada (2012/13) está abaixo do verificado no mesmo período do ano passado em muitas regiões acompanhadas pelo Cepea.

Esse cenário está atrelado principalmente ao ritmo lento de negócios envolvendo cafés mais finos. Além de o volume de grãos de maior qualidade disponível no mercado estar menor nesta safra em relação à temporada 2011/12, vendedores que detêm esse tipo de café estão retraídos, à espera de preços maiores. Isso porque os preços observados no correr de 2012 estão abaixo dos de 2011. Alguns cafeicultores consultados pelo Cepea também estão mais capitalizados neste ano, sem necessidade de negociar neste momento. 

Trigo

As consecutivas altas nos preços do trigo em grão têm sido repassadas para as farinhas, de acordo com pesquisadores do Cepea. As estimativas sobre a safra mundial, mas principalmente a brasileira, devem manter as cotações em patamares mais altos nos próximos meses. A concorrência em área de trigo com soja e milho no cenário mundial deve ser outro fator que limitará quedas.

Segundo pesquisadores do Cepea, as recentes elevações nas cotações internas têm preocupado indústrias de pães, massas e biscoitos. Isso porque essas indústrias não esperavam por alterações expressivas nos valores dos derivados de trigo. Assim, muitas unidades, agora, tentam fazer contratos, enquanto não há novos reajustes nas tabelas. Contudo, moinhos não estão realizando contratos para entrega da farinha em prazo superior a 30 dias, devido à instabilidade do mercado da matéria-prima. 


Fonte: Cepea – www.cepea.esalq.usp.br 

0 comentários

Postar um comentário