quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Plantio de Quatro Culturas é Orientado pelo Zoneamento Agrícola


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 4 de setembro, o zoneamento agrícola de risco climático para as culturas de algodão herbáceo, feijão caupi, melancia e milheto. A orientação vale para o ano-safra 2012/13.

O estudo para a cultura do algodão herbáceo abrange 11 estados (Bahia, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Piauí, Paraná, Rondônia, São Paulo e Tocantins) mais o Distrito Federal. As temperaturas ideais para o desenvolvimento do algodoeiro são sempre superiores a 20ºC. Uma precipitação pluvial de 700 mm a 1300 mm favorece a produção. Tanto o déficit hídrico quanto o excesso de umidade podem comprometer o cultivo em determinadas fases do desenvolvimento do algodão.

Para o feijão caupi, o zoneamento incluiu sete estados (Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte). Conhecido também como feijão-de-corda ou feijão macassar, o grão se desenvolve melhor com temperaturas na faixa de 18°C a 34°C. Temperaturas elevadas prejudicam o crescimento e o desenvolvimento da cultura, exercendo influência sobre o abortamento de flores, o vingamento e a retenção final de vagens, afetando, também, o número de sementes por vagem.

O levantamento referente à cultura da melancia analisou as condições mais favoráveis para o cultivo na Bahia e em Mato Grosso do Sul. Os elementos climáticos de maior relevância para o cultivo da melancia são temperatura, umidade relativa do ar, pluviosidade e fotoperíodo. Clima ameno a quente, dias longos e baixa umidade relativa do ar favorecem o desenvolvimento da cultura e a qualidade dos frutos.

Já para o milheto foram indicados os municípios que estão aptos e os períodos adequados para a semeadura em 14 estados (Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins) mais o Distrito Federal. Utilizada principalmente como planta forrageira, a cultura adapta-se bem a vários tipos de solos, apresentando ótimas produtividades em solos de média a boa fertilidade, não tolerando solos excessivamente úmidos.

Acesse e leia na íntegra as portarias publicadas no DOU sobre o zoneamento:http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=04/09/2012&jornal=1&pagina=3&totalArquivos=204

Mais informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
(61) 3218-2184
Marcos Giesteira
marcos.giesteira@agricultura.gov.br

0 comentários

Postar um comentário