sexta-feira, 13 de julho de 2012

Tecnologia aprimora Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) para Aplicação de Defensivos Químicos em Lavouras


No Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, pesquisa testa novas tecnologias destinadas a orientação de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs), para aplicação de defensivos químicos em lavouras. O objetivo dos experimentos é diminuir a quantidade aplicada em locais sensíveis, como margens do terreno, próximos à fauna e à flora.  Um artigo sobre  os VANTs será apresentado no 32º International Geoscience and Remote Sensing Symposium (IGARSS), que acontecerá entre os dias 22 e 27, em Munique (Alemanha), pelo mestrando Fausto Guzzo da Costa, do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Sistemas Embarcados Críticos (INCT-SEC), sediado no ICMC.


O estudo é orientado pelo professor Jó Ueyama, do ICMC e do INCT-SEC. Segundo Costa, “como essa aplicação depende de muitos fatores ambientais, como os ventos, é proposta a instalação de nós de sensores capazes de formar uma rede de sensores sem fio (RSSF) com o VANT, permitindo a troca de informações”. Isso possibilita à aeronave determinar a melhor rota de aplicação de defensivos químicos, aumentando sua eficiência.
Além disso, para continuidade do projeto, foi adquirido, desde janeiro, um quadcóptero — helicóptero não tripulado. Movido por quatro hélices, o veículo pode ser acionado pelo próprio computador e pilotado por um controle remoto. O intuito é que ele sirva como um roteador entre o VANT e os sensores que se encontram em solo. “Como o VANT passa em uma boa velocidade, os sensores no solo necessitam de um repetidor que funcione como uma “ponte” entre eles (sensores) e os VANTs”, afirma o professor Ueyama.
O quadcóptero possui tempo de vôo de aproximadamente 30 minutos, carga máxima de 400 gramas e conta com sensores de altitude e GPS. Além disso, contém suporte para uma câmera fotográfica, o que permite a realização de missões, como gravações mais direcionadas, ao ficar fixo em uma determinada localização.
Contatos

Costa ressalta que a participação no simpósio é uma possibilidade de “visualizar os últimos desenvolvimentos na área, identificar tendências futuras, trocar ideias e fazer contatos com pesquisadores de âmbito internacional”. Ueyama complementa que, “por ser um evento qualificado, o aluno terá a oportunidade de receber feedbacks do andamento de sua pesquisa para que possa efetuar ajustes e também ajudará na internacionalização dos alunos da USP, além de divulgar os trabalhos realizados pelo próprio INCT-SEC”.
Além de Costa e Ueyama, são autores do artigo “The use of Unmanned Aerial Vehicles and Wireless Sensor Network in Agricultural Applications” o professor Fernando Osório e o aluno de doutorado Gustavo Pessin, também do ICMC e INCT-SEC; o professor Torsten Braun, diretor do Instituto de Ciências Computacionais na Faculdade de Berna (Suíça) e a professora Patricia Vargas, da Escola de Matemática e Ciências de Computação da Universidade Heriot-Watt, em Edimburgo (Escócia), orientadora do Doutorado Sanduiche de Pessin.
Referente à colaboração do Instituto para o desenvolvimento do trabalho, o professor Ueyama menciona que, além do auxílio financeiro para a participação no evento, o INCT-SEC também foi fundamental para a interação do aluno com outros pesquisadores da área. O INCT-SEC reúne estudiosos de Sistemas Embarcados Críticos (SEC), que atuam principalmente com temas como robôs táticos, veículos terrestres, aquáticos e subaquáticos autônomos e aéreos não tripulados.
O quadcóptero foi adquirido pelo Projeto Universal do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e foi importado via Programa Ciência Importa Fácil, do qual Ueyama é credenciado.
Fonte: Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação (ICMC)

Mais informações: (16) 3373-9666; email:  imprensa@inct-sec.org

0 comentários

Postar um comentário