terça-feira, 24 de julho de 2012

Embrapa: Pesquisadores planejam pesquisa com Caramuri



A fruta desperta a curiosidade de muitos, mas a árvore do Caramuri torna-se cada vez mais difícil de ser encontrada na floresta. Isso tem ocorrido porque, para a retirada dos frutos, que ficam na copa da árvore, as pessoas costumam cortar o tronco.

Nos próximos dias, os pesquisadores da Embrapa Amazônia Ocidental (Manaus-AM) Roberval Lima, da área de silvicultura tropical, e Aparecida Claret, que trabalha com melhoramento genético e é responsável pela coleção de fruteiras tropicais, vão visitar um local de ocorrência natural da árvore, numa localidade ribeirinha chamada São Francisco do Caramuri, nas proximidades do município de Itacoatiara (AM). O local foi identificado pelo idealizador do projeto “Caramuri- o nome da bola 2014”, Vaubel Mafra. Lá a equipe pretende coletar mudas nativas e sementes para iniciar experimentos de propagação da árvore.

Faz parte do planejamento dos pesquisadores da Embrapa Amazônia Ocidental organizar um curso de coleta de frutos e de sementes para que se evite derrubar a árvore. Além disso, serão feitos experimentos para propagação e manejo da espécie, visando cultivos.

De acordo com Roberval Lima, pretende-se adotar algumas linhas de pesquisa com essa espécie: primeiro a prospecção e coleta de germoplasma nas populações nativas para estabelecer banco de matrizes ex-situ (fora do local de ocorrência); a partir daí estudar os processos de germinação e conservação das sementes, estabelecer métodos para produção de mudas e estudar o manejo e a silvicultura de plantio da espécie.

O idealizador do projeto “Caramuri- o nome da bola 2014”, Vaubel Mafra, esteve na Embrapa Amazônia Ocidental e apresentou palestra explicando porque sugeriu a fruta como nome da bola da Copa, que será sediada no Brasil. “A ideia é a seguinte, se nós conseguirmos colocar o nome (Caramuri) na bola da Copa do Mundo, isso irá chamar a atenção para a preservação da Amazônia como um todo, não só da flora, mas também da fauna, da água e das nossas riquezas”, afirma.

Ele oficializou a sugestão em 2011 ao Ministério dos Esportes, à Federação Internacional de Associações de Futebol (Fifa) e à fabricante da bola, Adidas, e desde então vem divulgando a ideia em diversos fóruns, principalmente nas capitais que serão sede do evento esportivo . Vaubel Mafra é natural do município de Maués (AM), conta que conheceu a fruta desde a infância e em seu município o fruto do caramuri é relacionado aos períodos de copa, a cada quatro anos, por isso o argumento para dar nome à bola oficial.

“O caramuri é uma fruta deliciosa e está cada vez mais rara, pois o modo de colheita é feito de forma bárbara. A fruta é pequena e nasce colada nos galhos que ficam na copa de sua imensa árvore que chega a medir 25 metros de altura", afirma o folheto da campanha. De acordo com relatos, as pessoas costumam derrubar a árvore para colher o fruto.

A divulgação do nome Caramuri para a bola da copa, conta com vários materiais promocionais, como camisetas, adesivo de carro, folhetos e na rede social facebook, conta com uma página exclusiva que pode ser localizada pelo nome “Caramuri Copa 2014”. Também foi editado um minilivro com o conto infanto-juvenil “Caramuri, festa na floresta”, de autoria da jovem escritora Laura Cavalcante.

Síglia Regina – Jornalista
Embrapa Amazônia Ocidental
Tel.: (92) 3303-7852 /3303-7860

2 comentários

Marcos S. Morse 31 de janeiro de 2017 21:22

Good

William J. Weis 3 de fevereiro de 2017 04:17

Benefícios de frutas têm sido conhecidos há anos, mas muitas pessoas não aplicam isso para sua dieta diária. Comer frutas pode ter muitos outros benefícios que você não conhece.Read More

Postar um comentário