terça-feira, 12 de junho de 2012

Aprenda a Bombear Água com Economia Através de Invenção Centenária


Bombear água para locais elevados sem usar energia elétrica ou combustível fóssil, com baixo custo e sem impacto ambiental parece impossível, mas não é. O carneiro hidráulico, equipamento capaz de fazer essa “mágica”, também não usa tecnologias avançadas – ele foi inventado em 1772 pelo inglês John Whitehurst e aperfeiçoado anos depois pelos irmãos franceses Montgolfier.

O extensionista Carlos Airton Paganini, da Epagri/Escritório Municipal de Paraíso, pesquisa o equipamento há cerca de quatro anos. Ele fez algumas adaptações até chegar a um modelo barato, resistente e que exigisse pouca manutenção.

Confeccionado com materiais simples como canos, adaptadores, válvulas e garrafa PET, o equipamento custa cerca de R$ 130 e pode ser instalado na propriedade pelo agricultor com o auxílio de um técnico. Para montar o sistema completo, já com as mangueiras, são gastos aproximadamente R$ 350. A manutenção é barata: a cada dois anos o produtor vai gastar cerca de R$ 15.
Nos últimos anos, centenas dessas bombas foram instaladas no Estado com suporte técnico da Epagri, especialmente na região Oeste. “Os produtores utilizam o equipamento para levar água até o gado nas pastagens e também para irrigar culturas em estufas”, conta Paganini.

Golpe de aríete

O dispositivo também é chamado de aríete hidráulico por causa do fenômeno físico que provoca o seu funcionamento. Aríete é o nome de uma arma de guerra usada na Idade Média, constituída por uma tora de madeira com uma peça de metal em forma de cabeça de carneiro na ponta. Ela era movida ritmicamente para frente e para trás pelos soldados para derrubar portões e muralhas de castelos.

“A relação entre a arma e o aríete hidráulico vem do fato de que a arma era usada para dar golpes, e quando a água escoa por um cano e sofre uma interrupção brusca no fluxo, também acontece um golpe. Esse fenômeno hidráulico, que provoca um surto de pressão, é chamado de golpe de aríete”, explica Elcio Pedrão, extensionista do Escritório Municipal de Frei Rogério.

Como funciona

O funcionamento do carneiro hidráulico parece desafiar a lei da gravidade, mas é bem simples. O dispositivo é capaz de aproveitar o efeito do golpe de aríete para bombear a água.

Pela ação da gravidade, a água percorre um tubo de captação, chega até o aparelho e, quando atinge certa velocidade e pressão, uma válvula se fecha, interrompendo bruscamente a entrada de água no equipamento. Essa interrupção abrupta do fluxo faz surgir o “golpe de aríete”, provocando um aumento de pressão no interior do dispositivo, suficiente para enviar a água até um reservatório mais elevado.

Como a água é impedida de retornar ao cano de alimentação, ela sai por outra válvula que se abre na sequência. “É um processo rápido de abertura e fechamento das válvulas, com ritmo sequencial, capaz de bombear a água a distâncias de 250, 300 metros”, explica Paganini.

Mais informações: Extensionistas Carlos Airton Paganini/Epagri/Paraíso, pelo telefone (49) 3627 0202, e-mail paganini@epagri.sc.gov.br  e/ou Elcio Pedrão/Epagri/Frei Rogério, pelo telefone (49) 3257 0045, e-mail elcio@epagri.sc.gov.br

1 comentários

Mineirinho Artes 12 de junho de 2012 11:30

Boa tarde,
Muito bom artigo sobre o carneiro hidráulico feito com garrafa pet. Gostaria de saber como montar um, inclusive enviei outro dia um e-mail para os contatos que aparecem no texto acima, pelo meu e-mail luscachave2000@yahoo.com.br.
Se possível, aguardo resposta.
Bom trabalho a todos.
Forte abraço e T+
Lucas Chaves - Sítio Palestina - Resende Costa, MG

Postar um comentário