quinta-feira, 17 de maio de 2012

Senado acaba com a obrigatoriedade de fabricação integral no Brasil dos produtos de uso veterinário após três anos de importação


A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural aprovou hoje o Projeto de Lei 7827/10, do Senado, que acaba com a obrigatoriedade de fabricação integral no Brasil dos produtos de uso veterinário após três anos de importação.

Atualmente, a legislação sobre o assunto (Decreto-Lei 467/69) obriga o importador a produzir internamente esses produtos após um prazo de três anos, contados da licença para sua comercialização, exceto quando se comprove a impossibilidade de fabricação nacional.

Além de acabar com a obrigatoriedade, o projeto estabelece validade de dez anos para a licença de comercialização dos produtos importados. Hoje, esse prazo já é válido para a produção brasileira.

O relator do projeto, deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), declarou que "o Decreto-Lei 467/69, que trata do registro e da fiscalização dos produtos de uso veterinário e dos estabelecimentos que os fabricam ou fracionam, encontra-se defasado".

De acordo com o deputado, a possibilidade de importação por prazo indefinido pode baratear o valor dos produtos veterinários.

"A redução dos preços dos referidos medicamentos é altamente desejável, podendo contribuir de forma significativa para a redução dos preços dos alimentos e para o aumento da competitividade de produtos brasileiros no mercado internacional", defendeu.

Tramitação

A proposta, que tramita em caráter conclusivo, ainda será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania

Fonte: Agência Câmara de Notícias

0 comentários

Postar um comentário