quarta-feira, 14 de março de 2012

Bactérias podem aumentar produtividade na cultura da Canola

A associação entre a canola e as bactérias que vivem na planta pode aumentar a produtividade desta cultura. Estudo inédito realizado com a participação de pesquisadores da Fepagro conseguiu identificar microorganismos eficientes em promover o crescimento da planta.


Utilizada para a fabricação de óleo para consumo humano, o cultivo da canola também é importante por seu potencial na produção de biodiesel e de rações. O Rio Grande do Sul responde por cerca de 65% da produção nacional de canola.

O estudo mostrou que quatro bactérias aumentaram o nível de potássio e fósforo na canola e uma aumentou o nível de nitrogênio. As plantas foram acompanhadas por 36 dias além da germinação das sementes. As bactérias foram capazes de aumentar em cerca de 40% a massa seca da planta, conforme artigo publicado na última edição da revista Applied Soil Ecology. Massa seca é a fração sólida que resta depois que a água é retirada de uma amostra vegetal.

O aumento da produtividade da soja relacionado à cooperação entre a planta e microorganismos já era conhecido da comunidade científica, mas esse é o primeiro trabalho que mostra esse incremento na cultura da canola.

O trabalho contou com a participação dos pesquisadores da Fepagro Anelise Beneduzi, Bruno Brito Lisboa e Luciano Kayser Vargas (diretor técnico da fundação), que atuaram em parceria com Roberto Farina, Adriana Ambrosini, Samanta de Campos, Luciane Passaglia (UFRGS) e Volker Wendisch (Universidade de Bielefeld, na Alemanha). Farina é orientado de doutorado de Passaglia e Kayser.

O trabalho agora deverá passar a etapas posteriores. Ainda em 2012 estão previstos testes de campo das sementes na lavoura. Além disso, serão realizados estudos microbiológicos para conhecimento do DNA das bactérias.


Divisão de Comunicação Social da Fepagro http://www.fepagro.rs.gov.br/

0 comentários

Postar um comentário