segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Embrapa promove simpósio sobre uso de tortas de pinhão-manso e mamona



A Embrapa Agroenergia realizará o Simpósio de Destoxificação e Aproveitamento das Tortas de Pinhão-manso e Mamona, de 7 a 8 de março, em Brasília. A torta é a biomassa que sobra do esmagamento dos grãos dessas duas plantas para a extração do óleo, que vem sendo estudado como matéria-prima para a produção de biodiesel. Em culturas como a soja, esse material é empregado principalmente na alimentação animal e tem valor de mercado maior do que o do óleo. Muitas vezes, é a venda da torta (na forma de farelo) que viabiliza toda a cadeia produtiva.

No caso da mamona e do pinhão-manso, há substâncias tóxicas como ricina, curcina e ésteres de forbol em suas tortas. Para que estas possam ser utilizadas na alimentação animal, pesquisadores da Embrapa e outras instituições estão estudando processos para destoxificá-las. Atualmente, as tortas dessas duas culturas são utilizadas como fertilizantes. O problema é que o valor desse produto é muito baixo, se comparado com o das rações. Por isso o investimento em pesquisas para eliminar sua toxidez.

Uma segunda frente das pesquisas é o desenvolvimento de formas de aproveitar as tortas. O pesquisador da Embrapa Agroenergia Clenilson Rodrigues, coordenador do Simpósio, conta que uma das possibilidades estudada é o emprego desse material na fabricação de biocaalisadores, bioplásticos, além de outros produtos de alto valor agregado.

O objetivo do Simpósio é “reunir os profissionais que trabalham com esses temas, tanto destoxificação quanto aproveitamento, para discutir os avanços da pesquisa e as alternativas para o uso desses materiais”, explica Rodrigues. A programação está dividida em quatro grandes temas: considerações do setor produtivo e aspectos de melhoramento genético das culturas; processos tecnológicos e biotecnológicos de destoxificação; controle de qualidade e estratégias de agregação de valor.

O diretor da área de produção animal da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Harinder Makkar, já confirmou presença no evento. Ele falará sobre as oportunidades e desafios do uso do pinhão-manso para produzir rações e outros produtos de alto valor agregado, dentro do conceito de biorrefinarias.  Também já estão confirmados os seguintes palestrantes: Ailton do Vale (Universidade de Brasília), Bruno Laviola (Embrapa Agroenergia), Carlos Wanderlei Piler (Embrapa Agroindústria de Alimentos), Everaldo Paula de Medeiros (Embrapa Algodão), Helder Louvandini (Universidade de São Paulo), José de Abreu (Ministério da Agricultura), Maria Catarina Kasuya (Universidade Federal de Viçosa), Olga Machado (Universidade Estadual do Norte Fluminense), Roseli Ferrari (Instituto de Tecnologia de Alimentos) e Simone Mendonça (Embrapa Agroenergia).

A programação completa do Simpósio estará disponível no site da Embrapa Agroenergia (http://www.cnpae.embrapa.br/ ). As inscrições são gratuitas e já podem ser feitas pelo e-mail sdat.cnpae@embrapa.br, informando nome completo, instituição a que está vinculado, cargo que ocupa e telefone para contato. As palestras serão realizadas na Embrapa Estudos e Capacitação (Cecat), que fica no Parque Estação Biológica, no final da Av. W3 Norte, em Brasília. As vagas são limitadas.

Vivian Chies  (MTb 42.643/SP)
Embrapa Agroenergia
Contato: (61) 3448-2264
vivian.chies@embrapa.br

0 comentários

Postar um comentário