quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Iapar lança IPR Campos Gerais, nova variedade de feijão IPR Campos Gerais



Ortigara destacou que a nova variedade vai possibilitar ao Paraná permanecer na liderança da produção nacional de feijão. Ele também ressaltou a importância dos investimentos públicos em pesquisas para a agricultura, pois o setor gera dinâmica à economia de 90% dos municípios do Estado. "É um esforço que vale a pena", afirmou. 

Dalberto também destacou a importância da pesquisa pública para o desenvolvimento da agropecuária e lembrou que, com a IPR Campos Gerais, o Iapar chega a 178 variedades lançados em 40 anos de atividades. 


Para o diretor-presidente, o lançamento de uma variedade sempre é "especial" para um centro de pesquisas porque, além do potencial produtivo superior em comparação com o que há disponível no mercado, um novo material agrega o esforço de diversas áreas do conhecimento, como fertilidade de solos, nutrição de plantas, fitopatologia e tecnologia de alimentos. "Uma cultivar é uma grande síntese tecnológica", concluiu. 

A pesquisadora Vânia Moda Cirino apresentou as características de IPR Campos Gerais e, em seguida, os participantes visitaram experimentos na estação experimental, onde puderam conferir o desempenho da cultivar em condições de campo. 

Sementes da nova cultivar estarão disponíveis a partir de janeiro. Interessados podem obter mais informações pelo telefone 43 3376-2482 ou no endereço eletrônico comercial@iapar.br. 

Características – IPR Campos Gerais é adaptada para plantio nos Estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Seu potencial produtivo chega bem próximo de quatro toneladas por hectare, ficando pronta para colheita em menos de 90 dias. As plantas têm porte ereto e podem ser colhidas mecanicamente, segundo Vânia Cirino.

A nova variedade é moderadamente tolerante à seca e a situações de altas temperaturas na fase de florescimento e começo da formação de vagens. Suas plantas se desenvolvem de modo eficiente em solos ácidos e com baixa disponibilidade de fósforo, de acordo com a pesquisadora. 

No aspecto doenças, é resistente à ferrugem, oídio e vírus do mosaico comum e apresenta resistência moderada à antracnose, murcha de fusário, crestamento bacteriano comum e murcha de curtobacterium. É, no entanto, suscetível à mancha angular, alerta Vânia Cirino. 

Do ponto de vista culinário, os grãos de IPR Campos Gerais cozinham em cerca de 22 minutos. Apresenta ainda bom teor de proteína, ferro e zinco, explica a pesquisadora.



Fonte: Iapar

0 comentários

Postar um comentário