terça-feira, 22 de novembro de 2011

Novo Cultivar de Capim Elefante Canará será Lançado em 2012



Em março de 2012, a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) lançam a cultivar canará, material genético do capim elefante. Os pesquisadores da Empaer, Francisco Idelfonso Campos e Antônio Rômulo Fava, acompanharam a evolução da gramínea e experimentos no campo experimental da Empaer, que ocorreu no município de Tangará da Serra (239 quilômetros de Cuiabá).

A pesquisa com o capim elefante começou em Mato Grosso em 1998, com o teste de 58 clones e apenas 14 foram aceitos. Os clones são oriundos do Centro Nacional de Pesquisa Gado de Leite do Estado de Minas Gerais. O objetivo da pesquisa é selecionar pelo menos um clone mais produtivo e adaptado para repassar aos pecuaristas.

Francisco explica que no período das chuvas o capim elefante produz de 70% a 80% de matéria verde e 20% a 30% no período da seca. O capim produz até 100 toneladas de matéria seca ou 700 toneladas de matéria viva por hectare. A maior produção do experimento no cerrado atingiu 63 toneladas de matéria seca e 500 toneladas de matéria viva por hectare.

O zootecnista Antônio Fava acrescenta que o capim elefante pode ser usado de várias maneiras, seja em pastejo direto, rotacionado ou na capineira em que a forrageira é cortada e colocada no cocho para o consumo do animal. Segundo Antônio mais de 50% das capineiras no Brasil utilizam como volumoso a cana-de-açúcar.


Quando o manejo é feito corretamente, o corte do capim no período das chuvas é realizado de 30 a 60 dias, e no período da seca, entre 60 a 90 dias. O teor protéico do capim elefante chega a 16%, enquanto a cana-de-açúcar atinge o máximo de 4%. “O teor protéico é fundamental para a alimentação animal tanto para produção de carne e leite. A Cana-de-açúcar é rica em energia e pobre em proteína”, esclarece Antônio.


Fonte: Gazeta Digital

0 comentários

Postar um comentário