quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Fatores que afetam a eficiência reprodutiva de vacas leiteiras


O objetivo desses pesquisadores foi de determinar se havia uma real associação entre o nível de produção leiteira nos dias próximos à expressão do estro e a duração do estro em vacas em lactação. Para isso, um sistema de radiotelemetria (HeatWatch) foi implantado. Neste sistema cada animal recebe um dispositivo o qual possibilita o monitoramento de monta 24 h/dia, registrando a quantidade de montas, a duração de cada monta e o horário exato em que o animal recebeu a primeira monta.

Ainda, nesse estudo, a produção de leite dos 10 dias anteriores ao estro foi utilizada para classificar a vaca em diferentes níveis de produção e correlacionar esse dado às informações relativas ao estro.

Os resultados evidenciam uma forte relação entre o nível de produção leiteira e a duração do cio.


Figura 1. Duração do cio (h) de acordo com níveis de produção de leite nos 10 dias anteriores ao cio (Adaptado de Lopez et al., 2004).

Além disso, mesmo em animais de alta produção (média de 39,5 kg de leite por dia), foi possível observar a influência da intensificação da produção de leite nas características do cio (Tabela 1).

Tabela 1. Características do estro (média ± EP) para vacas de produção leiteira mais baixa (<39,5 kg/dia) ou mais alta (≥39.5 kg/dia) com relação à média do rebanho estudado (Adaptado de Lopez et al., 2004).


a Número de eventos de estro.
b Produção media de leite nos 10 dias anteriores ao cio.
c Número de horas entre o primeiro e ultimo registro de montade um período estral.
d Dias pós-parto quando a informação de comportamento estral foi coletada por radiotelemetria.


Nesse estudo, parte dos animais também foi monitorada por exames ultrassonográficos e coletas de sangue, tanto no dia anterior (n = 34) quanto no dia do estro (n = 71). Assim, foi possível mensurar o diâmetro do maior folículo e a concentração de estradiol circulante.

Apesar de o diâmetro folicular ter sido maior nas vacas de alta produção leiteira, a concentração de estradiol foi inferior nesses animais em ambos os dias, o que pode explicar o reduzido tempo de expressão de cio.

Em outro estudo em que foram analisadas diversas propriedades norte americanas com gado Holandês (532 rebanhos) e Jersey (29 rebanhos), observou-se um aumento da produção leiteira dos rebanhos ao longo dos anos (expressa pelas barras verticais da Fig. 2), acompanhada pelo aumento do número de dias em aberto (Fig. 3) e do número de serviços por concepção (Fig. 4) e pela redução das taxas de concepção (representada pelas linhas da Fig. 2).


Figura 2. Evolução do número de serviços por concepção de vacas Holandesas (532 rebanhos) e Jersey (29 rebanhos) ao longo dos anos (1976 a 1999; adaptado de Washburn et al., 2002).



Figura 3. Evolução do número de dias em aberto de vacas Holandesas (532 rebanhos) e Jersey (29 rebanhos) ao longo dos anos (1976 a 1999; adaptado de Washburn et al., 2002).



Figura 4. Evolução do número de serviços por concepção de vacas Holandesas (532 rebanhos) e Jersey (29 rebanhos) ao longo dos anos (1976 a 1999; adaptado de Washburn et al., 2002).

Os estudos acima evidenciam que a modernização dos rebanhos leiteiros tem resultado em aumento da produção de leite dos animais e redução da eficiência reprodutiva. Foi mostrado que nas vacas de alta produção, os níveis circulantes de estradiol estão reduzidos. Acredita-se que a maior metabolização hepática de hormônios reprodutivos (como a progesterona e o estradiol) pode estar relacionada com a presença de folículos maiores, menor concentração de estradiol e menor duração e intensidade do estro.

Além disso, foi observado maior número de dias em aberto e de serviços por concepção e diminuição da taxa de concepção nesses animais. Esses estudos em conjunto são mais um indicativo que ao longo de muitos anos a seleção genética do gado leiteiro foi realizada quase que exclusivamente considerando-se características de conformação e produção leiteira. Com isso, outras características importantes como as reprodutivas foram ignoradas, resultando em gerações com maior potencial leiteiro, porém menor eficiência reprodutiva.

Assim, fica evidente que a escolha exclusiva de uma ou duas característica pode levar ao detrimento de tantas outras características de suma importância com reflexos negativos mais tardios. Portanto, deve-se utilizar um sistema de seleção de animais baseado em um conjunto de característica que possibilitem a harmonia entres todos os objetivos almejados pelo produtor.


Fonte: OuroFino Agronegócios   Autora: Fernanda Passos    * Resumido por Rural Pecuária

0 comentários

Postar um comentário