segunda-feira, 14 de março de 2011

Técnica do Sêmen Heteroespérmico (REPROMIX)




A Semex Brasil é uma cooperativa composta por quatro grandes centrais no Canadá (Gencor/ EBI/ Westgen e CIAQ), visando o melhoramento genético animal. Atualmente está presente em 117 países, o BRASIL é um deles. 

O Brasil passa por uma transformação no tocante a melhoramento genético, principalmente com o advento da inseminação artificial (IA) bem como o uso da Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF).

A pecuária moderna e de ciclo curto, já vislumbra informações mais acuradas e fidedignas. Sendo assim, toda a bateria de touros de corte da Semex (Taurinos e Zebuínos), tem pautado em animais com provas (Avaliação genética) que atendam a pecuária de hoje. 

São animais com excelentes DEP’s (Diferença Esperada na Progênie), avaliados por instituições renomadas, confiáveis e com larga experiência em produção de animais melhoradores. Atendendo aos anseios por melhores resultados, a SEMEX conta com um laboratório exclusivo para desenvolvimento de tecnologias relacionadas à reprodução e melhoramento genético (sêmen sexado, embriões, avaliações genômicas e sêmen heteroespérmico - REPROMIX), o L´Alliance Bovitec.


O REPROMIX atende diretamente as propriedades que aderiram ao cruzamento com Aberdeen Angus e fazem uso da IATF em pequena, média ou larga escala. Ele é composto sempre por touros da mesma raça, e teve o seu desenvolvimento voltado para maximizar a taxa de prenhez. Podendo também ser utilizado em inseminação artificial convencional. 

A justificativa para o uso da técnica do sêmen heteroespérmico (REPROMIX) se dá pela:
 
  • Capacitação, processo pelo qual os espermatozóides passam, sobremaneira no trato reprodutivo feminino, no qual ocorre a exposição de enzimas contidas no acrossoma, a fim de permitir a penetração da zona pelúcida do oócito, viabilizando assim a fecundação;
  • Cada reprodutor (não raça) tem um tempo de capacitação espermática individualizado, podendo ser agrupados em 3 grupos: os de capacitação rápida, intermediária e lenta (veja o gráfico 1);
  • Mesmo se utilizando de um indutor de ovulação nos protocolos de IATF, ainda persiste uma janela ovulatória de 6 a 12 horas.
  • Ao utilizarmos um touro, que tenha capacitação espermática lenta, tendemos a emprenhar as fêmeas que ovulem mais tardiamente; podemos aplicar o mesmo raciocínio para os demais tempos de capacitação espermática e momentos de ovulação.
  • Seria o “ideal” que identificássemos touros que portassem o maior tempo de capacitação possível, ou seja, que conferissem a maior “cobertura” a todos os momentos de ovulação. Conseguimos um artifício que mimetiza esta situação, quando, numa mesma doses de sêmen, conseguimos combinar 3 touros de diferentes tempos de capacitação.
Os reprodutores do REPROMIX tem se destacado na American Angus Association e Canadian Angus Association (Spring 11 – provas da Primavera de 2011) tanto para Marmoreio, Área de olho de lombo, Musculosidade, Peso a desmama, Peso ao Ano e leite.

Creio que esta é uma fantástica ferramenta aos pecuaristas e técnicos em reprodução de todo o Brasil que vislumbram maximizar seus resultados.

A Semex lhe convida para conhecer e usar o Repromix. Firmando sempre que nossa filosofia de trabalho é: Cada Dose Conta.

Escrito por: 

William Sousa 
Gerente Comercial NO, NE e CO.
william@semex.com.br

0 comentários

Postar um comentário