terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Preço da Terra



O campo vai bem, obrigado, e, melhor que isso, o futuro promete. Preços das commodities em alta, as populações clamando por alimentos, principalmente as dos países emergentes, entre outros fatores, estão fazendo o preço das terras dobrar no Brasil e a procura por elas é intensa. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de dezembro a janeiro do ano passado, áreas no sul do país, por exemplo, foram valorizadas em até 93%.

No geral, são as maiores cotações de há mais de 20 anos. Terras de pastagem na cidade de Cerro Azul, no Paraná, por exemplo, subiram 92,3%. Em regiões de Mato Grosso, o salto foi de 105%.

Detalhe importante: o IBGE constatou que a subida foi generalizada. Terra roxa (café), pastagem (carne), áreas de mata, cerrados para plantação de soja, tudo subiu. E não foi somente o grande produtor que adquiriu, visto que médios e pequenos produtores, melhor capitalizados, foram atrás de terra a fim de expandir seus negócios, caso de Santa Catarina, onde predominam as pequenas propriedades.

Os corretores estão espantados. Um deles, de Ribeirão Preto, SP, disse que nunca assistiu uma subida tão rápida de preços num espaço curto de tempo. E a tendência é de as cotações subirem ainda mais, indicando que o Brasil finalmente está consolidando a sua vocação de celeiro agrícola do mundo, posição que ouvimos falar desde o banco de escola.



Fonte: Globo Rural
Sebastião Nascimento
 

0 comentários

Postar um comentário