quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cuidados com o Percevejo no Milho Safrinha



As informações sobre o milho safrinha mostram um plantio feito no cedo, no mês de fevereiro, considerado antecipado e seguro com expectativas de um bom desenvolvimento, contando com ocorrência de chuva durante o período de desenvolvimento e floração da cultura. No entanto, durante o estabelecimento inicial do milho, o agricultor deve tomar alguns cuidados para evitar grandes perdas de produtividade quando o milho está em estágio de uma a três folhas, entre dois a dez dias após a emergência, por ataque de pragas de solo, como brocas larvas e principalmente danos causados por percevejo barriga verde.
Tratamento de sementes


O uso de sementes tratadas com inseticidas é indispensável para auxiliar a manutenção do stand de cinco a seis plantas aptas por metro quadrado, que é a primeira condição necessária para obter boa produção. O tratamento das sementes com inseticida protege as plântulas de milho contra as pragas iniciais, diabrótica e percevejos.


Percevejo barriga verde

Essa praga aloja-se embaixo da palha e em plantas daninhas remanescentes de dessecações mal manejadas. Pelo fato da cor do percevejo ser semelhante à palha, é de difícil visualização na lavoura, e causa grandes prejuízos. Os percevejos ao introduzirem seu estilete nas plantas de milho sugam nutrientes e injetam toxinas resultando em plantas de milho anãs, plantas perfilhadas sem produção, ou plantas dominadas, reduz o stand e a produtividade.


O milho é suscetível ao percevejo até atingir o estágio de cinco folhas, correspondente às primeiras três semanas após a emergência. Os estragos mais severos ocorrem dos dois a dez dias após a emergência; ataques nesta fase invibililizam as plantas atingidas e o dano só aparece duas semanas após, trazendo um prejuízo irreversível. Não adianta aplicar inseticida depois da visualização do dano. O ataque estende-se até o milho atingir a quinta folha, porém o grau de estrago é maior quando os percevejos sugam a base do colmo das plantas de milho nos primeiros dez dias após a emergência.


Alerta

No entanto, na safrinha observam-se altas infestações de percevejos sendo necessária uma aplicação complementar de inseticida via foliar. Mesmo nas lavouras plantadas com sementes tratadas, é recomendado fazer a aplicação logo após a emergência das plântulas de milho para reduzir a população de percevejos de dois a dez dias após a germinação, que é a fase mais sensível ao percevejo.


Manejo

Fazer um correto manejo das plantas daninhas é fundamental. Devemos eliminar as folhas estreitas até o estágio de um a dois perfilhos, e as folhas largas devem ser controladas com quatro folhas. Controle mais tardio resulta em perdas de produtividade por mato competição, além de exigir maiores doses de herbicida, com o risco do controle não ser tão eficiente, podendo ocorrer rebrote das plantas daninhas fora de estágio.

Os produtos Cruiser® e Poncho®, ambos de ação comprovada e devidamente registrados no Ministério da Agricultura. Além disso, realiza-se o tratamento adicional com polímeros a fim de garantir dose e cobertura das sementes com menor risco à saúde. Em ensaios conduzidos pela Pioneer Sementes na última Safrinha, a utilização do Tratamento de Sementes Industrial com o inseticida Poncho® proporcionou um ganho médio de produtividade na ordem de 7 sc/ha, o que representou um incremento de produtividade de mais de 6% sobre a testemunha não-tratada


Fonte: Pioneer - Jornal O Presente Rural

0 comentários

Postar um comentário