quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

O novo Sistema de Identificação e Certificação de Bovinos e Bubalinos (Sisbov)




Sisbov

O Sisbov tem como objetivo o controle e rastreabilidade do processo produtivo no âmbito das propriedades rurais de bovinos e bubalinos. Toda a cadeia produtiva da carne, incluindo produtores rurais, certificadoras, e frigoríficos participam do Sisbov.
O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimentos (Mapa) é o responsável pela coordenação nacional do Sisbov, e o IMA pela coordenação estadual do serviço.
A adesão ao Sisbov é voluntária, mas para alguns mercados, principalmente o da União Européia, a rastreabilidade é obrigatória.


Com o novo sistema, o produtor rural interessado na adesão deve fazer a inclusão de todos os bovinos e bubalinos existentes na sua propriedade. Apesar da adesão voluntária, permanece a obrigatoriedade de adesão para a comercialização para mercados que exijam a rastreabilidade.  O produtor que opta pela rastreabilidade está agregando mais valor a seu produto, além de estar cumprindo as exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para exportação.

Uma das novas exigências é o registro de todas as ocorrências em um livro de registro da propriedade. Agora, todos os bovinos e bubalinos dos estabelecimentos rurais aprovados no Sisbov serão, obrigatoriamente, identificados individualmente e cadastrados na Base Nacional de Dados com o registro de todos os insumos utilizados na propriedade durante o processo produtivo.

“A intenção do Ministério é diminuir a burocracia, já que o próprio produtor pode alimentar o sistema em que é cadastrado. O produtor não precisará tanto das certificadoras, que cobram toda vez que a propriedade é inspecionada. O custo é mais alto. Por exemplo, a cada seis meses o produtor recebe a visita da certificadora, isso requer gastos, e quando o animal está em confinamento, a visita é obrigatória a cada 60 dias”.

As certificadoras, além de inspecionar a propriedade e os animais, também são responsáveis pelo sistema operacional da propriedade cadastrada no Sisbov. Com as novas regras, o produtor terá a senha para atualizar os dados, e será mais vantajoso.

As novas regras do sistema serão mais simples para o produtor, certificador, frigoríficos e fornecedores de elementos de identificação, pois traz alterações e novidades cadastrais.

Segundo o veterinário e consultor da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato), Luiz Carlos Meister, por mais que se tente organizar o novo Sisbov, o Ministério da Agricultura ainda encontrará dificuldades quanto à mão-de-obra nesse setor, que é muito reduzida. “A simplificação do novo sistema vai melhorar para os produtores que aguardam o cadastramento, é o que espera o Ministério.”

O cadastramento no Sisbov garante a sanidade do animal, mas Meister lembra que com a crise econômica o pecuarista está perdendo muito, inclusive porque a União Européia, maior importadora de carne bovina do Brasil, passou a comprar bem menos, e as oscilações do dólar também não ajudam nas vantagens quanto ao credenciamento no programa. Segundo a Famato, estão cadastradas no Sisbov, aproximadamente 320 propriedades.






Fonte: Mato Grosso em foco / Notícias Agrícolas

0 comentários

Postar um comentário