terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Avicultura Criação de Pintinhos

2 comentários

Carmem 13 de junho de 2014 06:34

Ola . Tenho criação de pintinho. E alguns estão picando os outros pintinhos até sacrarem .. se não os retirar chegam a morrer .. o que faço? E falta de alguma proteína? Eu os alimento de ração de crescimento e quirela de milho. Obrigada Carmem.

Rural Pecuária 13 de junho de 2014 10:44

Boa tarde Carmem

O problema geralmente enfrentado pelo produtor de galinhas de postura comerciais na fase de produção ou quando ainda frangas, é a bicagem e o canibalismo. Bicagem é o ato da ave bicar sua companheira, o quê, na maioria das vezes, pode levar ao canibalismo e até mesmo, mortalidade da ave agredida. Nas galinhas, a bicagem e o canibalismo geralmente afetam a região da cloaca, mas podem se estender a outras partes do corpo, como pontas de asa ou dorso.

É possível fazer as seguintes considerações:

Em poedeiras, a deficiência de sódio resulta em decréscimo ou cessação da postura, retardo no crescimento e canibalismo. Em dietas básicas e balanceadas com milho, soja e núcleo contendo sal comum, esta exigência é praticamente atendida.

O programa de luz para poedeiras visa estimular e controlar a maturidade sexual da fêmea. Ele pode ser aplicado seguindo as orientações do manual da linhagem, porém, quando aplicado de forma incorreta no lote, pode conduzir ao canibalismo. Um programa de luz crescente e gradual deverá fornecer à galinha em produção 16-17 horas de luz diária, considerando o período de luz natural. A luz atua como estímulo responsável pela ovulação na galinha. O programa de iluminação deverá levar em consideração: fotoperíodo diário da região, intensidade luminosa a ser aplicada no lote (medida em lúmens ou lux), linhagem utilizada, idade para início do programa de luz.

Observação importante: Nunca deve-se iniciar abruptamente um programa de luz com 16 horas para aves em produção ou então, antecipar o programa em relação à idade ideal de maturidade sexual da galinha, pois este tipo de estímulo realizado de forma inadequada, pode ter como conseqüência o estresse ou prolapso (reversão do oviduto e do reto que não se retraem a sua posição normal).

Também tem se verificado prolapso do oviduto em galinhas com excesso de peso no início da produção (alimentação incorreta ou desbalanceada). A galinha com prolapso é agredida por suas companheiras, que atraídas por pintas de sangue ou pela coloração das mucosas expostas procedem à bicagem e ao canibalismo. Aves com prolapso devem ser retiradas imediatamente do lote para que não se desenvolva o vício do canibalismo.

Lâmpadas infravermelhas promovem luminosidade alta. Esta condição pode deixar as aves agitadas e agressivas e ser um fator propício para a bicagem e canibalismo.

A ocorrência da bicagem e canibalismo também está relacionada à baixa qualidade nutricional das rações. É provável que deficiências de aminoácidos e ácidos graxos essenciais, o elevado teor energético das rações e o baixo teor protéico, além da falta de sais minerais e vitaminas, estejam entre as causas estimulantes da bicagem, pois isto pode tornar as aves mais agressivas e nervosas.

Densidade de alojamento elevada, comedouros e bebedouros insuficientes e conseqüente disputa pelo alimento pode ser causa de bicagem.

Objetos cortantes ou pontas de ninhos que causem ferimentos e pequenas hemorragias nas aves também podem ser atrativos, estimulando o vício do canibalismo.

Temperaturas elevadas podem provocar estresse e nervosismo nas aves, o que resultaria em bicagem. Para galinhas e frangas de postura pode-se adotar temperatura em torno de 20º C a partir da 6ª semana de idade.

Deve-se monitorar a presença de ectoparasitas nas aves, pois isto pode causar nervosismo e estresse, resultando em maior agressividade das aves.

Mudanças repentinas de manejo ou manejo praticado de forma incorreta podem levar ao estresse e à bicagem.

Poedeiras com a debicagem mal feita e expostas à fatores de estresse, aumentam os problemas de bicagem e canibalismo no lote.



Postar um comentário